segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Resenha: O Artífice do Tempo - de Niel Bushnell

O ARTIFÍCE DO TEMPO
Túneis da Morte - Livro 2
Niel Bushnell
Editora Jangada
Sinopse: Jack Morrow, de 13 anos de idade, descobre que tem a capacidade natural de viajar no tempo através das Necrovias, passagens interdimensionais que conectam as lápides à data de morte da pessoa enterrada. Desesperado para desvendar o segredo sombrio que cerca seus ancestrais, Jack viaja por elas e descobre um mundo secreto sob as ruas da Londres de 1940. Perseguido pelas Paladinas – versão feminina e fantasmagórica de cavaleiros medievais –, Jack precisa encontrar a mítica espada Durendal, perdida, antes que seja usada para reviver o terrível mestre das Paladinas, Rouland. O futuro de Jack, e de toda a sua família, depende de que ele evite o retorno de Rouland. Mas estará o tempo do seu lado?

Resenha

Ao final do primeiro livro, Jack decide deixar o ano de 2013 para trás (ou seria para frente?) e voltar para 1940, para o único tempo e lugar onde ainda tem amigos, Davey e Eloise. O que justifica o porquê de eu ter ficado feliz pela nossa parceira Jangada ter cedido esse livro para resenha.

Mas não demora muito tempo para ele já se enfiar no meio de uma confusão. Na verdade não demora nem uma viagem completa pela Necrovia. No meio do caminho, entre 2013 e 2008, Jack acaba sendo arrastado pelos Grimnire para uma dimensão que ele nunca ouviu falar, para algo que parece ser um julgamento. E seus amigos não estão muito melhores também, pois eles foram largado literalmente no lugar onde um bomba acabara de explodir, então eles já começam o livro tendo de lutar pelas vidas deles. 

E o que é ainda mais preocupante, Rouland não está tão morto quanto todos imaginam. Sua mente continua viva, se revirando em seu túmulo, tramando planos de vingança contra Jack. E as suas paladinas parecem saber que o mestre delas ainda pode ser ressuscitado, e para isso elas precisam recuperar a espada dele, Durendal. Uma espada terrível que se alimenta dos vivos e aprisiona suas almas, e que é capaz de restaurar o corpo de Rouland, assim como as espadas das paladinas as restaura. E ao mesmo tempo elas precisam localizar Jack, para descobrir a localização do corpo de Rouland.
Mas Rouland não era mortal, e sua raiva o sustentara ao longo de anos tenebrosos e solitários. Ele esperou, tramou e premeditou. Sabia que seu dia chegaria. Suas seguidoras iriam encontrá-lo e restaurá-lo, e ele se vingaria de Jack Morrow.
Felizmente não demora muito tempo para que Jack e seus amigos descubram o plano das paladinas, mas a parte ruim é que eles não podem se manterem juntos. Devido ao fato de as paladinas poderem sentir a presença de Eloise, ela e Davey acabam tendo de se separarem de Jack, para que elas não encontrem ele.

E enquanto Eloise e Davey embarcam em uma aventura, com novos aliados, para descobrir a localização de Durendal, Jack acaba fazendo uma amizade inusitada com a misteriosa Hilda, uma garota cheia de segredos que parece boa demais em ler a mente de Jack.

E aí quando você pensa que não poderia ficar pior… eis que fica. Porque além de ter de descobrir a localização da espada, impedir o retorno de seu inimigo e ter de lidar com novos primeiro mundistas, Jack precisa aprender a controlar a Rosa, antes que ela acabe controlando ele. Pois é exatamente isso que está acontecendo. Jack cada vez mais se aproxima para o abismo que a Rosa o está puxando, e quando isso acontecer, ele acabará exatamente como Rouland, um assassino cruel e sendento por poder.
Todos pagamos um preço pela vida que levávamos.
Nesse novo livro da série as aventuras de Jack aumentaram, não existe nenhum momento de calmaria nesse livro, do início ao fim. A estória se aprofunda mais no Primeiro Mundo e nos outros Reinos. Conhecemos a cidade do Primeiro Mundo, Ealdwyc, e descobrimos mais sobre a cultura e política dos primeiro mundistas, além de sua tecnologia. A narrativa se mantém fluida, nos arrastando pelas viagens do Jack. Como ocorre no primeiro livro, esse também acaba com um final que nos deixa com um gostinho de quero mais. Acabei dando 4 estrelas para esse livro, porque eu estava esperando um inimigo novo, um mais poderoso. Afinal aquela frase do Rouland no final do primeiro livro, dizendo que a Rosa atrairia inimigos mais poderosos e terríveis do que ele, de deixou com a impressão que existiria algum outro super inimigo esperando nas sombras. Então o fato de novamente termos as paladinas e Rouland acabou me decepcionando. Vou continuar esperando que tais terríveis inimigos surjam. A edição desse livro segue a do primeiro, com páginas amareladas. Nesse quesito não há reclamações.

Se você gosta de aventuras, então sem dúvidas você deveria ler esse livro. E que venham os próximos!

Sobre o autor

Quando tinha 10 anos ele fez uma longa lista do que gostaria de alcançar na vida e uma de suas ambições entre se tornar astronauta e ser artista de história em quadrinhos estava escrever um romance. O plano era fazer isso antes de ter 13 anos, mas levou um pouco mais do que isso. O amor por HQs eventualmente levou o autor para uma direção diferente: uma carreira na animação. Ele trabalhou como animador em diversas franquias, como Perdidos no Espaço, além de jogos como Harry Potter e a Pedra Filosofal, Driver e na televisão em diversos programas do gênero. Finalmente chegando ao próprio estúdio de animação, o Qurios. Décadas após o aniversário de 13 anos ele finalmente completou seu primeiro romance. Ele vive no nordeste da Inglaterra.



sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Resenha: Para Continuar - de Felipe Colbert - Editora Novo Conceito(Novas Páginas)

PARA CONTINUAR
Felipe Colbert
Editora Novo Conceito / Novas Páginas
Fantasia / Romance
Páginas: 224
Sinopse: Para continuar - Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso.

Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.

A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.

O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.


Foi em setembro de 2014 que fui contatado pelo autor Felipe Colbert no inbox do Facebook. Surpresa e muito feliz recebi um convite para ser a leitora beta de sua nova obra PRA COMEÇAR publicada pela nossa parceira Editora Novo Conceito, a proposta era a seguinte: "Leia e seja sincera. Preciso de pessoas bastante críticas, que observem cada detalhe." - Pensei: "Nossa que responsabilidade. Ser beta de um livro do aclamado Felipe Colbert!" Bom, aceitei o desafio. 
É com muita honra que aqui estou pra contar-lhes um pouco da minha experiência e dar-lhe as minhas sinceras impressões.

RESENHA

Conhecemos Leonardo César, um jovem de 20 anos que sofria de uma rara doença cardíaca da qual o impedia de ter uma vida considerada normal para pessoas de sua idade. Nada de  esforços físicos, grandes emoções, até mesmo um mero susto poderia levá-lo ao hospital.

Vivia sobre os cuidados excessivos e minuciosos de seus pais, que temiam por sua delicada saúde, de forma que aumentava a frustração de Léo, por não ter liberdade. Sentia-se sufocado com toda a pressão que sofria por causa dos riscos que corria. Devido a esses sufocantes cuidados, ele mal podia sair de casa pra curtir um programinha básico. Sua vida era tediosa, com a rotina de ir e vir da escola e nada além.  Pra não piorar a sua situação, contava com a companhia e de seu amigo de infância, Penker, juntos curtiam o programinhas light e sem menor esforço físico, tais como jogos de game, filmes e uma boa conversa fora.

Mas, foi no dia em que Léo retornava da faculdade, no metrô, que ele deparou com a imagem que o faria desejar mudar sua vida. Lá estava ela, uma garota de aparência oriental, com cabelos negros e longos, sentada a sua frente de cabeça baixa, parecia distante, concentrada em seus próprios pensamentos. Sua quietude e simplicidade atraiu a atenção de Léo, que encantou-se com a beleza singular da jovem e o fez desejar tê-la em seus braços. 

E assim se fez. Após aventurar-se no bairro da Liberdade com o propósito de conhecer a linda Ayako, Léo percebe que estava destinado a passar por desafios perigosos para conquistar o coração de bela sansei. O destino iria lhe pregar peças, mas, ele era obstinado e não voltaria atrás, até que a luz de um lindo amor brilhasse.

IMPRESSÕES:


Quem me conhece sabe que sou fascinada pela cultura japonesa, por temas orientais, tradições, vestimentas, etc. Então, não foi difícil me sentir envolvida pela história, por toda a magia que contemplei a cada virar de páginas. No entanto, percebi que não era uma história típica japonesa e sim, um romance rodeado de mistérios e misticismo, e que se passa em um ponto turístico, conhecido como o Japão do Brasil, o tão famoso Bairro da Liberdade em São Paulo

Felipe conduziu bem toda a trama em torno da vida dos protagonistas que dividiam cada qual uma amargura e insatisfação pelas condições difíceis que viviam. A união entre eles fez estabelecer um elo não só de amizade, mas de cumplicidade e apoio.

Todos os personagens foram bem desenvolvidos, existia ligações entre eles que dificultavam a harmonia dos pombinhos, mas que eram necessários para que a trama ficasse ora mais excitante, ora comovente.

Léo, adorei o jeito irônico dele. Suas tiradas e comentários sarcásticos, um humor ácido que me fez lembrar dos jovens otakus do qual tenho contato, apesar de cabeça dura ele era decidido, passou tanto tempo a mercê da vontade de seus pais que quando resolveu seguir seus próprios desejos abusou da sorte!

Seu amigo Penken é igualmente engraçado e trouxe um pouco de descontração na estória, de forma que, a trama não ficou tão pesado e deu uma certa leveza natural.

Ayako, tão jovem e tão cheia de responsabilidades, escolhas e dedicação... Ela tinha um segredo de família e com ele vinha o sacrifício, e estava prestes a ser revelado, caso isso acontecesse, tudo que protegeu a vida toda iria ruir. Mas, pra tudo tem seu preço, no decorrer da estória descobrimos o preço de Ayako. Tinha momentos que desejei ajudá-la, e outros apenas sacudir seus ombros e gritar: Acorda! Larga tudo e viva!

Ojii-san, avô de Ayako, um sábio ancião de princípios, gostava de manter os hábitos da terra natal, mas talvez por viver tanto tempo no Brasil, por sua experiência de vida, teve que adaptar-se aos nossos costumes. Aprendeu que no amor não existe barreiras e usou desse ensinamento para mostrar a Ayako que arriscar-se vale mais que, passar a vida inteira na escuridão com medo de viver. Por mais doloroso o trajeto, o final sempre será satisfatório.

Ho, perfeito personagem, tem um papel importante não só na vida de Ayako, como para o desenvolver da história. O coitado vive um amor platônico que vai aos poucos aflorando de forma triste, pois, segundo Ayako ele é apenas uma criança, age como tal, e o sentimento que tem por ele é de afeito e proteção.  Fiquei triste com o final dado pra ele, mas, foi o certo a se fazer. Ele simbolizou o amor imortal, a esperança e a vida. Ele provou que todos nós estamos aqui com um propósito, seja pra finalizar o que foi deixado pra trás, ou ajudar o próximo. Triste e lindo ao mesmo tempo.

Ao todo, me comovi o com o dilema de Ayako e Léo, solidarizei com a deficiência mental de Ho, quis matar Kong por ser tão mesquinho e rude com seu primo, me envolvi com a trama, fiquei curiosa quanto a historia bem bolada das lanternas, me perguntei de onde o autor havia tirado tais informações. E assim como Léo, eu cacei, procurei e nada encontrei. Estava na cabeça do gênio que escreveu essa obra. Simples assim! rsrs

Como eu li o manuscrito que estava em fase de revisão e alterações, quando finalizei a leitura eu sentia que ficara faltando algo no final, foi  como fechar um livro incompleto (mas, estava de fato incompleto!). Eis que Felipe me enviou a cópia finalizada e posso afirmar. Estou muito feliz e orgulhosa que tenha usado uma sugestão minha pra concluir a obra. Nossa, foi como me ver naquelas ultimas páginas, em 07/07/2007 quando visitei a Liberdade em plena Tanabata Matsuri. Lacrimejei, me emocionei e sorri satisfeita. Sim Felipe, nada faltou, ficou perfeito!
Indico aos amantes de um romance mágico e cheio de mistério. Pra quem gosta de se emocionar e sonhar com finais marcantes. Leia e viva Para continuar.

Bjocas
Ni





quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Resenha: O Calor do Vaqueiro - Sable Hunter - Qualis Editora

O CALOR DO VAQUEIRO
Autora: Sable Hunter
Editora: Qualis Editora
Páginas: 260
O Calor do Vaqueiro

Sinopse: Aron McCoy largou a mulher. Ele se machucou uma vez e não pretende cair na armadilha matrimonial novamente. Quando Libby Fontaine chega ao Rancho Tebow, ela está determinada a viver uma vida inteira em poucos meses, já que o médico não lhe deu certeza de uma remissão permanente para sua leucemia.

A atração entre eles é instantânea e avassaladora. Mas quando Aron descobre que Libby é virgem, ele recua. Aron não tem nada a oferecer para uma garota que merece laço branco e promessas, mas quando ele a encontra nua no tanque de armazenamento de água do rancho e a escuta gritar seu nome em prazer - o calor explode!!!

Resenha

Os McCoy’s são conhecidos por suas terras, bens, beleza, companheirismo e cada por sua singularidade. Aron foi machucado no passado. Nosso vaqueiro é Aron McCoy, um homem vivido, lindo e bem sucedido. Ele e seus cinco irmãos vivem no rancho Tebow. Ele não quer ninguém para se machucar novamente… casamento nem pensar; mas ele ainda não tinha conhecido Libby e quando isso acontece todos esses pensamentos se tornam incoerentes.

“ Quando ele viu a bonequinha delicada parada ali no meio de sua indisciplinada família ele sentiu como se o tivessem golpeado a cabeça com um 2x4. Enquanto seu olhar avidamente moveu-se para cima e para baixo de suas curvas requintadas, ele sentiu uma agitação em sua calça jeans e sua pressão arterial subiu como um foguete, uma súbita explosão de calor correndo por seu corpo. Senhor tenha misericórdia!(...)
Aron quase esqueceu onde estava.”  _ARON

Libby é uma jovem mulher que apesar de todos os problemas da vida e da sua doença; é cheia de luz e vitalidade. Ela é muito forte e um ser humano maravilhoso, que só quer o bem de todos ao seu redor. Libby vive sonhando acordada com um amor igual nos romances que lê e quando ela descobre que o câncer está em remissão vê uma nova chance de viver a vida e aproveitará ao máximo!

“ -Dois anos são 24 meses ou 730 dias. Não é para sempre.- Enxugando uma lágrima feliz de seus olhos, ela deu ao Dr. Mulligan um sorriso de parar o coração. - mas eu aceito.”

A atração deste casal é forte, logo eles se entregam à paixão sem limites ou reservas. Aron estava tirando todas as amarras e se entregando. Libby se tornou fundamental, não só para Aron, mas também para toda Família McCoy’s, que a amam como irmã cada dia mais.

“ Libby orou pela família, para que se mantivessem unidos e fortes por Joseph. Ela orou especialmente por Aron, pediu a Deus para envolvê-lo em um casulo de calor e paz. Por fim, ela orou por ela mesma. Libby não queria morrer e deixar Aron. Libby queria viver.”

Mas, ela estava em remissão… 
o que ela pode oferecer a eles?

Ela não sabia; mas estava com medo…  
O que será que vai acontecer?!

E a pergunta que não quer calar… 
Vai ficar tudo bem?!

Só lendo pra saber… rsrsrs

Minhas Impressões

Esse livro causou na minha mente um turbilhão de sentimentos controversos. A principio achei o título um tanto excêntrico, mas contendo um promessa de algo quente. Porém, ao iniciar a leitura senti em diversos pontos, uma ausência de adaptação entre eu, como leitora, e a linguagem utilizada da autora, o que causou estranhamento no decorrer da leitura.

A proposta da estória é boa, mesmo considerando morno para o gênero classificado como erótico. Os personagens possuem suas características marcantes, gostei de todos. O problema foi que senti falta de uma profundidade à mais de um modo geral, o que acabou fazendo com que mesmo gostando dos personagens, eu não me apegasse a estória. Penso que cada livro sempre tem seu leitor, pode ser que esse não tenha funcionado comigo, mas em algum lugar no mundo literário tem leitor para se conectar ao Calor do Vaqueiro.

Em toda leitura sempre extraímos algo para nossa vida, e mesmo com as adversidades, com este livro não foi diferente. Aprendi com a personagem Libby que por mais que sua vida esteja sendo difícil, que tudo pareça dar errado, que você se sinta até mesmo sufocado com algum problema que a vida possa te impor… Nunca desista! Viva a vida. Seja forte. Ultrapasse as barreiras. Lute! Seja feliz. Faça o bem. Seja o bem!


Bjxx amores e até a próxima!


terça-feira, 25 de agosto de 2015

Resenha: Túneis da Morte - de Niel Bushnell - Editora Jangada

TÚNEIS DA MORTE
Livro 1
Niel Bushnell
Editora Jangada

Sinopse: Quando Jack Morrow descobre que não é um menino comum, ele é arrastado quase imediatamente numa aventura surpreendente, muito além de qualquer coisa que um dia tenha imaginado. Isso porque Jack é um Viajante, alguém com a capacidade de viajar através das Necrovias, túneis que ligam cada lápide ao dia em que a pessoa morreu. Ao se ver na Londres devastada pela Segunda Guerra Mundial, na companhia de David, seu avô, na época ainda adolescente, Jack percebe que sua chegada a 1940 não passou despercebida. Forças malignas de um mundo secreto são convocadas a encontrá- lo. Enquanto Jack luta para sobreviver nessa aventura cheia de perigos e surpresas, ele acaba por desvendar o segredo sombrio da sua família, e se empenha, numa corrida contra o tempo, para tentar mudar o seu destino...

Resenha

Jack é um garoto de 12 anos que está prestes a se tornar só. Seu pai está sendo preso e sua mãe já está morta, e agora ele precisará viver com uma tia que ele mal conhece. A vida nunca foi lá muito boa, pelo menos não desde que sua mãe morreu, mas agora parece que não pode piorar. Como ele vai ser enviado para longe de Londres, seu pai resolve levá-lo uma última vez ao cemitério para visitar o túmulo da sua mãe. E em meio ao sofrimento pela separação do pai e pela perda da mãe, Jack se aproxima do túmulo da mãe para se despedir. Mas mal sabia ele que o que parecia ser o final, era na verdade somente o começo.

Ao tocar na lápide de sua mãe, Jack é assaltado por imagens e lembranças com ela, lembranças essas em que ele era pequeno demais e que não deveria se lembrar. E em meio a essa confusão de imagens ela acaba perdendo a consciência. E nesse instante ele simplesmente desaparece do cemitério, sem deixar rastros.

Após recuperar a consciência, Jack percebe que está no mesmo lugar, porém não parece ser o mesmo lugar ao mesmo tempo. Isso porque, ao invés do túmulo da mãe, tudo o que ele pode ver é um espaço vazio. E sua confusão estava apenas começando, pois do nada eis que surge um velho afirmando ser o seu avô, que teoricamente estava morto, e que diz para ele que ele voltou no tempo, através de da Necrovia do túmulo da sua mãe, e que agora ele está no ano de 2008. E afirma também que Jack é um Viajante, alguém capaz de viajar para o passado através das Necrovias, e que ele faz parte do Primeiro Mundo, um mundo a parte, à la Harry Potter, que coexiste com o Segundo Mundo (o nosso mundo).
Ser Viajante é um bom jeito de ganhar a vida - ele continuou. - Sempre tem trabalho, a grana não é de se jogar fora… É perigoso, claro! A maioria acaba morta, ou pior que isso, antes dos 20 anos.
E como se tudo isso não fosse inacreditável o bastante, do nada surgem umas criaturas feitas de pó, os Homens Pó, que sem ele saber porque, parecem querer matá-los. E no meio desse caos generalizado, o seu avó, David, manda que ele viaje em uma Necrovia para o ano de 1940, para se encontrar com a versão mais jovem dele, e que esse David mais jovem irá explicar as coisas para ele. Mas antes de ir ele seu avó deixa uma última mensagem, ele manda proteger a Rosa. 
Vá embora. Corra até não aguentar mais. E não olhe para trás.
Então essa é a situação de Jack, ele se encontra no ano de 1940, em plena segunda guerra mundial, deve encontrar a versão mais jovem do seu avô e também proteger uma rosa, que ele não tem idéia do que seja. Isso é claro, lembrando que tinham os Homens Pó tentando matá-lo até poucos instantes antes. Nada mal para uma simples ida ao cemitério para visitar um túmulo. Agora que Jack se encontra em 1940 é que sua aventura realmente irá começar, junto com Davey (seu avô mais novo), Jack precisará descobrir a verdade sobre a rosa, sua família e principalmente sobre si mesmo. Mas ele não é a única pessoa que está atrás da rosa, então essa busca virou uma corrida contra o tempo, para descobrir quem irá encontrar a rosa primeiro. Mas o adversário dele já tem uma vantagem, ele conhece o Primeiro Mundo, algo que agora Jack precisará aprender rapidamente. E com essa habilidade de poder voltar no tempo, Jack começa a contemplar diversas possibilidades, principalmente uma que acabaria com o seu sofrimento nos últimos anos. Seria ele capaz de voltar para o passado e mudar o futuro? Seria ele capaz de salvar a sua mãe?
- Eu vou viver para sempre! (…)

- Não deseje uma coisa dessa (…) Mesmo os livros grandiosos sempre acabam, e eles são melhores por causa disso.
Túneis da Morte segue com uma narrativa empolgante, no melhor estilo Percy Jackson, Jack vai encontrando uma adversidade após à outra enquanto vai descobrindo todo um novo mundo, com criaturas e poderes incríveis. E assim como PJ e HP, esse mundo coexiste com o nosso, escondido no nosso cotidiano. O livro é rápido de ser lido, pois a narrativa flui perfeitamente. Outra aspecto muito interessante dessa estória é que ela te leva a diversos períodos de Londres.

E como toda boa fantasia, esse livro também conta com uma misteriosa profecia, que de alguma forma está ligada ao destino de Jack. Existem muitas coisas que foram citadas e não mostradas nesse livro, o que me deixou com vontade de ler o segundo livro logo (ele já foi publicado no Brasil). Estou extremamente curiosa para desvendar todos os aspectos desse novo mundo, dessa nova Londres. Eu dei 4 estrelas para o livro e o recomendo a todos que gostam de aventura e fantasia.
A crença numa coisa pode ser muito perigosa.

Sobre o autor

Quando tinha 10 anos ele fez uma longa lista do que gostaria de alcançar na vida e uma de suas ambições entre se tornar astronauta e ser artista de história em quadrinhos estava escrever um romance. O plano era fazer isso antes de ter 13 anos, mas levou um pouco mais do que isso. O amor por HQs eventualmente levou o autor para uma direção diferente: uma carreira na animação. Ele trabalhou como animador em diversas franquias, como Perdidos no Espaço, além de jogos como Harry Potter e a Pedra Filosofal, Driver e na televisão em diversos programas do gênero. Finalmente chegando ao próprio estúdio de animação, o Qurios. Décadas após o aniversário de 13 anos ele finalmente completou seu primeiro romance. Ele vive no nordeste da Inglaterra.




segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Resenha: 'Entre Deuses e Heróis" - David Mulroy - Editora Cultrix

ENTRE DEUSES E HERÓIS 
David Mulroy
Editora: Pensamento (Cultrix)
Páginas: 232

Sinopse: “Entre Deuses e Heróis traz os mais importantes mitos e lendas condensados a partir de suas fontes primárias. As histórias escolhidas para este livro não estão adaptadas e nem entremeadas pela interpretação que o autor faz delas. O livro apresenta as histórias de maneira acessível e agradável, preservando a dramaticidade, a ironia e as paixões (pathos) dos originais. Esta é uma obra voltada a um público amplo e satisfaz uma necessidade real, poupando tempo ao leitor interessado, que vai tomar conhecimento de toda a gama de lendas e mitos clássicos gregos e romanos de um modo eficiente e prazeroso.”








Resenha:

“Entre Deuses e Heróis” é definitivamente meu tipo de livro. Muito, muito bom! E se você, como eu, adora mitologia e mistérios antigos, também vai com certeza adorar esse livro.

Porém esse é o tipo de obra que não pode ser resenhada como as demais, e isso porque esse livro não traz uma única história, e sim dezenas delas que não cabe a mim resenhar aqui, mas tão somente apontar para que a curiosidade de vocês os leve a essas páginas que por sua vez lhes levarão por uma verdadeira viagem no tempo.

O livro começa com uma introdução histórica que vai relatar um pouquinho da cosmogonia grega e como ela acabou de certa forma se sincretizando com a Romana, e daí já pula para o primeiro de todos os mitos “A castração de Urano”.

O livro traz então, a partir daí, 75 mitos clássicos condensados. E o que isso quer dizer? Quer dizer que as histórias foram enxugadas de quaisquer subjetividades autorais e recontadas de forma direta em uma linguagem bastante acessível e resumida.

Um detalhe muito legal é que o Autor se preocupou em montar o livro de forma muito organizadinha, tornando o livro tanto uma fonte rápida de pesquisa quanto uma fonte aprendizado muito fácil para quem está lendo essas histórias pela primeira vez. Os mitos estão dispostos de forma cronológica sempre mencionando a fonte do referido mito.

A capa é magnífica, como podemos ver, com certeza me conquistaria simplesmente por ela, mas o interior é ainda mais bem trabalhado e pode se perceber o capricho com o qual o Autor e a editora escolheram para revestir o produto final.

As folhas são brancas, mas de ótima qualidade e não notei nenhuma dificuldade com isso.

Uma coisa que eu senti falta foi de imagens por dentro do livro... seria tão perfeito se tivesse... mas nada que deprecie o produto já que ele num todo é muito bonito.

Não teria como eu terminar a resenha desse livro sem compará-lo ao clássico Livro da Mitologia do Thomas Bulfinch, bem... para quem já leu esse e está pensando se vale a pena ou não comprar outro livro de mitologia lá vai o que eu acho:

Sim, vale a pena. Ambos os livros são excelentes e bibliografia quase que obrigatória para os amantes de mitologia e interessados em deuses antigos. O Livro do Bulfinch foca muito na mitologia grega e dá leves pinceladas por fora tratando também um pouco da mitologia Nórdica, mas a linguagem dele é mais poética e se percebe bastante influência autoral, que me lembre. Já esse livro do Mulroy embora foque também na mitologia grega a linguagem já é completamente descomplicada, sendo de leitura muito fluída, trazendo ao fim ainda alguns mitos que vão além, mas desta vez diferente do outro ele vai para a mitologia suméria e Egípcia.

Logo sim totalmente vale a pena a compra, tanto pela beleza do produto em si quanto pelo seu conteúdo.

Para aguçar ainda mais a curiosidade julgo ser necessário que vocês vejam o índice do livro para que possam saber se interessa mesmo comprar e deixarei aqui ao final. Minha nota não poderia ser outra além de 5 estrelas!




sábado, 22 de agosto de 2015

Lançamentos de Agosto: Grupo Editorial Pensamento

Oláááá Pessoal!
Vamos mergulhar nos lançamentos do Grupo Editorial Pensamento e seus selos Jangada e Seoman. Vem muita coisa boa gente!!

TEMPESTADE DE SANGUE
Kel Costa
Editora Jangada
Fantasia / Romance / Ficção
Páginas: 304

Sinopse: Tempestades de Sangue - Durante o último ataque de mitológicos à Fortaleza Negra, Sasha sofreu perdas irreparáveis. Agora, só o que ela quer é juntar os cacos e seguir em frente. Mas, quando menos espera, ela se depara com um esquema de tráfico de sangue dentro da Fortaleza e resolve usar essa informação para se aproximar de Klaus, o líder dos Mestres vampiros.
Enquanto isso, Mikhail viaja na companhia dos irmãos numa caçada aos mitológicos, e está concentrado em encontrar seus inimigos e dar fim ao grupo que atacou a Fortaleza. Mal sabe ele que enquanto isso, Sasha está se arriscando para desvendar todo o mistério que envolve o tráfico de sangue, ao mesmo tempo que tenta se reaproximar do cientista Blake Campbell e descobrir mais sobre a Exterminator, a arma criada para exterminar os mitológicos, mas que também pode ser uma grande ameaça para os vampiros. Será que Blake está tramando contra os Mestres? Sem que imagine, as investigações de Sasha a levam a percorrer um caminho sem volta que acaba se transformando no seu pior pesadelo.


O LABIRINTO DO FIM DO MUNDO
Marcelo Simoni
Editora Jangada
Suspense e Mistério
Páginas: 392

Sinopse: O Labirinto no Fim do Mundo - Em 1229, o rastro de homicídios deixado por um violento cavaleiro acaba forçando o inquisidor Konrad von Marburg a investigar a misteriosa seita dos Luciferianos. Um mestre em medicina expulso da Universidade de Notre-Dame acaba atraindo as suspeitas do inquisidor, mas ele não será o único a cair nas mãos do religioso, ávido por entregar um culpado à justiça divina da Santa Inquisição Romana. O mercador de relíquias Ignazio de Toledo, chega a Nápoles e desperta a desconfiança de von Marburg. Descobrir uma forma de provar sua inocência não lhe será fácil. Ignazio inicia então uma longa e arriscada investigação que o levará a “Corte dos Milagres” de Frederico II, na qual se reúnem algumas das mentes mais brilhantes e esclarecidas da época. Estará o mistério da temível seita escondido entre os muros do palácio imperial? E o que escondem os Luciferianos de tão precioso que compense o sacrifício de tantas vidas?

KRAFTWERK PUBLICATION
David Buckley
Editora: Seoman
Biografia / Autobiografia / Memórias
Páginas: 368

Sinopse: KRAFTWERK PUBLICATION - Formado em 1970 em Düsseldorf por Ralf Hütter e Florian Schneider e consolidado entre 1975 e 1987 com os percussionistas Wolfgang Flür e Karl Bartos, o Kraftwerk é tido como precursor de toda a dance music moderna. Kraftwerk Publikation é muito mais do que a biografia de um grupo sem paralelo na história. Com contribuições de Wolfgang Flür e Karl Bartos, bem como de outros ex-integrantes da banda e artistas do mundo da música eletrônica, o autor David Buckley nos conta, numa linguagem ágil e jornalística, como um "bando de esquisitões" ligados à cena de música de vanguarda alemã acabou se tornando os improváveis "Lords da Música Eletrônica" pop moderna e mantendo-se na ativa até hoje, com uma agenda de shows lotada.


QUER SE VER NO MEU OLHO?
Rafael Vitti
Editora: Seoman
Poemas / poesias
Páginas: 96

Quer Se Ver No Meu Olho? - Rafael Vitti se declara como Arteiro Poetista. Seus versos, sempre muito musicais, partem de seu peito como borboletas e pousam no branco do papel. Coloridos, graciosos, pungentes mas, sobretudo, delicados. Eternizam o efêmero da paixão juvenil dando vida a todas as suas indagações. Brinca com os significados como quem manobra o skate ou desenha um caminho na onda. É lúdico, é livre e é, ainda assim, sério. Olhe para onde os olhos dele pousam. Veja com seus olhos. Leia em seu olhar.

EVENTOS

Rafael Vitti, Editora Seoman e a Livraria Saraiva convidam para o lançamento do livro 
"QUER SE VER NO MEU OLHO?".

26 de agosto de 2015 (quarta-feira) das 18:30 às 21:30h.
Livraria Saraiva Shopping Pátio Paulista.
Rua Treze de Maio, 1947 - Bela Vista
São Paulo - SP

* Serão distribuídas 400 senhas para a sessão de autógrafos com o autor a partir das 17:30h.
Confirme sua participação AQUI!



Kel Costa, Editora Jangada e Livraria travessa convidam para o lançamento do livro "TEMPESTADE DE SANGUE" 

Dia 30 de agosto (domingo) às 16hs
no auditório da Livraria Travessado Barrashopping, Barra da Tijuca
 Rio de Janeiro, RJ
confirme sua participação AQUI!




sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Resenha: Perdendo-me - Cora Carmack - Editora Novo Conceito

PERDENDO-ME
Cora Carmack
Editora: Novo Conceito
N° de páginas: 286
Perdendo-me - Cora Carmack
Sinopse: 
VIRGINDADE. Bliss Edwards vai se formar na faculdade e ainda tem a sua. Chateada por ser a única virgem da turma, ela decide que o único jeito de lidar com o problema é perdê-lo da maneira mais rápida e simples possível com uma noite de sexo casual.

Tudo se complica quando, usando a mais esfarrapada das desculpas, ela abandona um cara charmosíssimo em sua própria cama. Como se isso não fosse suficientemente embaraçoso, Bliss chega à faculdade para a primeira aula do último semestre e… adivinhe quem ela encontra?


Resenha

Bliss é uma estudante de Artes Cênicas e faltam poucos meses para se formar, então ela precisa resolver alguns “probleminhas” por assim dizer… a temida perda da virgindade, exatamente ela tem 22 anos e ainda é virgem… apesar de ser jovem Bliss gosta de ter tudo sob seu controle. Mas depois que ela conta para sua amiga Kelsey sobre o seu “probleminha”… elas decidem ir a um bar; e já que não encontrou a cara certo precisa deixar de ser virgem com o cara “errado” mesmo e no final das contas será que ela vai querer matar a amiga ou vai agradecer eternamente?!?… (eu sinceramente, agradeceria…rsrs); porque quando ela o encontrou…. hummmm!!!!

“(…)Ele era facilmente o cara mais atraente que eu já tinha visto essa noite, com seus cabelos loiros caindo por cima de límpidos olhos azuis, apenas um  pouco de barba no maxilar para lhe dar um ar mais masculino sem que o tornasse barbudo demais e um rosto que poderia ter feito anjos cantarem…”

E quando ele abriu a boca… UAU!!!!

“(…)Sotaque. ELE TEM SOTAQUE BRITÂNICO. 
Santo Deus. Estou morrendo…”

Então a nossa queridíssima Bliss encontrou esse deus britânico maravilhosoooo, que se chama Garrick/Charmosíssimo,Quase Perfeito/Tayler (que só para constar eu queroooo,rs); rolou uma química tão grande, sensações tão diferentes; gostos em comum… E antes que desse conta já estava em seu apartamento dando os melhores beijos de sua vida.

“Sexo.
Eu ia fazer sexo.
Com o cara gostoso.
Um cara BRITÂNICO gostoso.
Ou talvez eu fosse vomitar.
E se eu vomitasse em cima do cara britânico gostoso?
E se eu vomitasse em cima do cara britânico gostoso DURANTE O SEXO?

Como não podia ser diferentes sua obsessão por controle fala mais alto e ela o abandona na sua própria cama… E você acha que acabou por aí?  Não, não; mesmo. Porque no dia seguinte, no conforto da sua sala de aula… Quem é a pessoa que ela vai ter que encontrar todos os dias ????? Exatamente o bonitão britânico!!!!
Mas Bliss vai tentar ao máximo fugir dele… se é que ela terá forças para tal coisa, em meio a isso tudo Bliss tem amigos maravilhosos; Kelsey e Cade que também estão para se formar… Kelsey depois da faculdade quer viajar por um ano e Cade… Além de querer fazer sua pós-graduação; ele decide que é hora de abrir seu coração para Bliss…

Bliss se vê perdida, essa situação é nova para ela, porque para quem ainda não tinha achado o cara certo… agora ela podia escolher! E quem você escolheria?! Cade, seu melhor amigo lindo, educado, protetor, carinhoso que sempre esteve ao seu lado e que é totalmente apaixonado por ela?! Ou Garrick, o britânico charmoso, lindíssimo, provocador, e que ocupa a maior parte de seus pensamentos?! É… e pra quem fala que a vida é justa… enquanto umas não tem nenhum, Bliss tem dois gatos, maravilhosos bem na palma da mão!!!! (Ei, psiu; BLISS! Vamos dividir…rsrsr)

“(…)Eu o provoquei com mais um beijo rápido e disse:  _Faz amor comigo?
Tudo nele ficou tenso… as mãos que estavam em mim, a sua bela face, e o seu corpo sob o meu.  _ Bliss, você não tem que fazer nada que você não queira fazer por mim.
(…)O mundo estava se juntando em mil pedaços atrás dos meus olhos cerrados, e minha boca ainda estava aberta em um grito silencioso. Senti o beijo dele debaixo da minha orelha, e estiquei a mão na direção dele, envolvendo a sua cintura com meus braços.
(…)Eu amo você._nós dissemos, juntos”

Uauuuu!!! Você esqueceria dessa primeira vez?!!!! Quem Bliss escolheu?! Ficou curioso(a)?!! Leia, descubra e desfrute dessa história maravilhosaaa!

O.M.G!!!! Eu queria poder dar um super abraço na Cora!!!! Genteee que livro maravilhoso… Ele tem uma escrita tão gostosa e inteligente, que você simplesmente não consegue parar de ler. Então é isso… Viva, viva a vida da melhor maneira possível, se contradiga, se descontrole, se subestime, se entregue, seja, ame! Porque ser cheio de contradições… nem sempre é tão ruim assim!!!!!