quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Resenha: Quase Mortos - de Rook Hastings

Quase Mortos
Bem-vindos a "Weirdsville" - Livro 1
Rook Hastings
Editora Pandorga



Sinopse: Woodsville não é como as outras cidades. Lá a noite cai um pouco mais cedo, as sombras são mais escuras e mais densas, e todas as pessoas sabem que é um lugar onde coisas estranhas acontecem. Mesmo que elas não admitam isso. Bethan preferia estar em qualquer outro lugar, menos ali. Jay tinha suas teorias, mas ainda não estava pronto para compartilhá-las. Hashim via mais do que dizia, enquanto os demônios de Kelly eram mais de carne e osso mesmo. Mas o medo de Emily tirou-os da negação e fê-los ficar cara a cara com o sobrenatural. Em todos os outros lugares, as noites de sexta-feira eram noites de sair para namorar. Mas não em Woodsville.

Resenha

Quase Mortos se passa na cidade de Woodsville, um lugar sinistro que um dia foi uma floresta. Parte da floresta foi derrubada para a construção da cidade, mas as árvores não receberam esse memorando e por isso continuam se espalhando de forma bastante anormal por todos os cantos. Woodsville não é um lugar simpático, a maioria dos habitantes trabalha na fábrica e vivem de ajuda do governo em conjuntos habiacionais. E é claro que como em qualquer outro lugar desse tipo, existem pobreza, gangues e todo tipo de crime. E é por isso que as pessoas não tem o costume de fazer passeios noturnos, mas não é somente por causa disso. Tem alguma coisa muito esquisita nessa cidade que ninguém consegue explicar ou até mesmo assumir que existe, um sentimento de algo anormal, um frio constante, uma áurea de medo impregnada em todos.

Aterrorizado, fechou os olhos e cobriu os ouvidos com as mãos, tentando bloquear o grito silencioso que tinha recomeçado, intensificando-se com a luz. O jovem estava sem forças contra o que quer que viesse em sua direção. Quando a luz o envolveu, Carter se encheu de medo e tristeza, de terror de saber que não havia mais ninguém no mundo a quem pudesse recorrer, e também não havia mais nenhum lugar em que quisesse estar a não ser em casa.
"Tenho que chegar em casa" - Carter ouviu em sua cabeça. - "Ajude-me a chegar em casa".
(…) aquela voz, aquela que havia dito que precisava voltar para casa. Ela não pertencia a Carter.

Nesse cenário nós temos 5 adolescentes muito normais e ao mesmo tempo completamente diferentes: Jay, Kelly, Emily, Bethan e Hashim. O nerd, a popular, a perdedora, a gótica e a estrela do time de futebol. Típicos estereótipos de qualquer colégio de segundo grau. Mas eles são muito mais complicados do que aparentam primeiramente, pois a ideia de normalidade é distorcida em Woodsville, afinal é normal ter alguém querendo te matar por lá. O destino de todos se junta devido à um trabalho de grupo, imposto à eles pelo professor devido a uma briga na sala de aula. E a estória começa a se desenrolar por causa justamente do motivo dessa briga. Durante uma discussão em sala de aula Emily afirma que já viu um fantasma, ou melhor dizendo, ouviu.

- Eu vi um fantasma - disse Emily. - Bem, não vi um, exatamente. Eu ouvi um. Pelo menos, acho que ouvi…

Durante o desenrolar desse trabalho em grupo, Emily acaba revelando o que ela não conseguiu dizer durante a aula, que a sua casa é mal assombrada. Jay então traça um plano para que eles descubram se ela está falando a verdade ou não e depois de muito rolo, acaba que todos vão passar a noite na casa da Emily para tirar essa estória a limpo. Durante a madrugada eles começam a perceber que talvez a Emily não tenha mentido afinal de contas, pelo menos não complemente. Porque a Emily "esqueceu" de avisar a eles que sua mãe está desaparecida. E o vídeo que deveria provar que a Emily mentiu acaba revelando outra coisa, muito mais assustadora.

Quando Bethan tirou a cabeça do vidro, ela achou ter visto algo se mover na sala refletida atrás dela. Virou-se com o coração aos saltos.

Agora eles precisam se juntar para descobrir se é realmente um fantasma que está assombrando Emily, descobrir o que aconteceu com a mãe de Emily, e isso em tudo em meio à fenômenos estranhos que não param de acontecem sem parar ao redor deles e aos perigos corriqueiros de uma cidade violenta como Woodsville. E no meio dessa investigação o laço que eles compartilham começa a se estreitar e a amizade entre eles que antes seria impossível começa ser vital para a sobrevivência deles. Uma nova Woodsville começa a surgir diante dos olhos deles, uma que sempre existiu, mas que todos sempre ignoraram. Segredos começam a surgir e Woodsville mais do que nunca se revela uma cidade extremamente perigosa, mas não por causa das gangues.

Em toda a cidade, pessoas normais e comuns faziam suas atividades normais e comuns, assim como Jay, Kelly, Emily, Bethan e Hashim. Mas muito em breve, quatro desses cinco alunos estariam rememorando eventos recentes e lutando para compreender tudo aquilo.
E quanto ao quinto aluno?
O quinto estaria morto.

Antes que decidam me matar, esse trecho acima não é spoiler. Ele foi retirado do primeiro capítulo. Foi desse jeito simpático que autora resolveu encerrar a sua apresentação dos personagens.
Eu li esse livro esperando que ele fosse um livro de terror, estava esperando por sustos ou por pelo menos um friozinho na barriga, mas não consegui nenhuma  dessas coisas e isso me decepcionou. Mas não encare o livro de forma ruim por causa disso. É realmente muito difícil me assustar, afinal eu assistia O Exorcista quando criança. O livro não é ruim, só não atendeu as minhas expectativas. É uma leitura leve com vários ganchos te puxando para os próximos  capítulos, só não gostei de uma coisa na narrativa. Por vezes, no início, é confuso a identificação do personagem. Por mais que a narração seja em terceira pessoa, às vezes não percebemos de imediato a quem pertence os pensamentos narrados. A conclusão foi boa, ela também te puxa para o próximo livro. O livro não é muito grande e a capa é bem bonita, mas não gostei muito do papel. O livro é feito com aquele tipo de papel que ao longo do tempo vai ficando cada vez mais amarelado, o mesmo utilizado na maioria dos livros importados que tenho. Por não ter atendido as minhas expectativas, eu dei 3 estrelas para ele. Irei ler o próximo, mas ele não será uma prioridade na minha fila. Mas se você for do tipo que se assusta, então você irá amar esse livro.
O segundo livro da trilogia Weirdsville "Corpos Imortais" já foi publicado no Brasil, também pela editora Pandorga.

Às vezes, especialmente à noite, o mundo real não parecia mais real.

Sobre a autora

Rook Hastings é escritora de ficção há oito anos. Com uma grande fascinação pelo paranormal, Rook já morou em duas casas mal-assombradas. Na primeira, sem sua infância, um gato fantasma invisível costumava fazer com que Rook desenvolvesse uma reação alérgica sempre que o gato passava perto dela. Na segunda, quando era estudante de artes, uma colega de quarto, morta pouco tempo antes, passou um ano assombrando-a. Agora Rook mora bem feliz em uma casa não assombrada em Hertfordshire.





terça-feira, 21 de outubro de 2014

Resenha - Leila Krüeger - Reencontro

Leila Krüeger - Reencontro


Sinopse: "Está bem no fundo. Não se pode alcançar... aos poucos, vai roubando o ar.” Ana Luiza vai perdendo seu fôlego: o fim de (mais) um grande amor, um pai distante, uma mãe fútil, uma amizade complexa e "pessoas que sempre vão embora". Com suas músicas de rock, seus livros e seus cigarros, Ana Luiza vê sua vida desmoronar. "O amor é uma ferida”, ela sentencia. Mas a “garota de olhar longínquo” tem um encontro inesperado com um alguém aparentemente muito diferente dela: os “olhos imensos”, que tudo veem... Presa em seu próprio mundo e rendida ao álcool e às drogas, Ana Luiza tenta fugir. Principalmente do temido amor, que tanto a feriu... Como encontrar, ou reencontrar o próprio destino? Até onde o amor pode ir, até quando pode esperar? O que há além das baladas de rock e dos poemas românticos? Poderá o amor salvar alguém de sua própria escuridão? Às vezes, é necessário perder quase tudo para reencontrar... e finalmente poder amar. 


Resenha 

Ana Luiza é uma jovem que depressiva que entrou no mundo das drogas e não consegue reconhecer que está entrando em um caminho sem volta, está sempre remoendo seus dois amores perdidos e não se permite encontrar um grande amor novamente.

Seus únicos companheiros são seu cachorro e Nana que é sua melhor amiga, até que um aluno novo da faculdade começa a se aproximar dela, mas eles acabam virando amigos, pois Ana não deixa ninguém se aproximar de seu coração. Para afastar Rafa ela começa a se envolver com um rapaz rico e traficante de drogas e cada vez mais começa a se afundar nas drogas, que misturado a sua depressão será como uma bomba prestes a explodir.
"A dor no fim é sempre nossa. Ninguém consegue sentir. Não dá para dividir. No máximo aliviar um pouco... A dor é a coisa mais egoísta do mundo."

Com o cenário de fundo a maravilhosa cidade de Porto Alegre, que já tive o prazer de conhecer, consegui reviver os cenários maravilhosos, o leitor irá entrar a fundo na vida de Ana Luiza, mesmo com a narrativa em terceira pessoa a autora conseguiu ser muito profunda representando os sentimentos de Ana Luiza.

Ana Luiza tem beleza e tem uma situação financeira boa, mas falta amor, ela se sente rejeita pelo pai e a mãe não é amorosa, teve suas decepções amorosas e no meio da leitura acontece uma fato que cortou meu coração e que faz com que Ana se entregue a depressão e ao mundo das drogas a tal ponto que faz ela mais uma vez perder a vontade de viver.


"Nada vale uma vida. Nenhuma dor vale uma vida."


Gostei muito da leitura mesmo tendo detestado a protagonista no início, depois consegui compreendê-la melhor. A escrita da autora é deliciosa, o livro é recheado de poesias e trechos de músicas no inicio de cada capítulo, o que deixa a leitura muito mais gostosa apesar de ser uma leitura triste e pesada por entrar no mundo das drogas. A narrativa é recheada de sotaque e gírias sulistas, eu particularmente adorei, pois sou apaixonada pelo sul do país.

Minha única ressalva é que o livro poderia ter sido um pouco mais resumido, algumas vezes ficou um pouco cansativo nas suas 500 páginas, mesmo com a narrativa fluída. Um livro que faz você pensar o quanto vemos tantas pessoas sendo atingidas por essa doença chamada depressão e o quanto devemos tomar cuidado para não deixarmos ela nos atingir. Recomendo a leitura.


Classificação

Sobre a autora

Leila Krüger nasceu em Ijuí, a noroeste do Rio Grande do Sul. É romancista, poetisa e contista. Tem poemas e contos publicados em jornais e revistas. Lançou Reencontro, seu primeiro romance, em novembro – 2011, pela Ed. Novo Século – SP. Classificou-se em quarto lugar no XXXIII Concurso Internacional Literário, nas categorias Poesia e Conto, que foram publicados na coletânea Amanhã, Outro Dia, pelas Edições AG, em 2011. Também foi selecionada para a antologia Tempo de Tudo: Contos, da Câmara Brasileira de Jovens Escritores, 2011. Lançou seu primeiro livro de poemas, A Queda da Bastilha, em 2 de novembro de 2012 na Feira do Livro de Porto Alegre - RS, pela Confraria do Vento - Rio. Participou da antologia Espelho da Alma, pela GD, lançada em novembro de 2012.



segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Resenha: Entre o Agora e o Nunca - de J.A. Redmerski



Oiee amoreees ! tudo bom com vocês? Se prepara que vem mais uma resenha por ai ! <3 


Entre o Agora e o Nunca
Autor(a) : J.A. Redmerski
Nº de páginas : 359
Minha música tema : Poison and Wine - The Civil Wars / Ready for Love - Bad Company
Classificação 5 / 5




Esteja pronta para embarcar em uma viagem sexy e ousada.

Sinopse: Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. 
Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. 

Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus conexão irresistível se forma entre os dois. Desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

Resenha: 

Eu não sei. Talvez tenha sido a capa. Ou o alvoroço que as pessoas faziam com este livro. Algo me chamou nele, e eu não me arrependo por ter dado ouvidos ao chamado.
A história de Cam e Andrew é envolvente de todos os modos. Adorei o fato da narrativa ser dividida, sendo alguns capítulos Camryn e outros Andrew, porque assim nos dá a visão mais ampla dos sentimentos e pelo o quê nossos personagens passam. 


“ - Viva o momento - ele diz, como se estivesse dizendo algo sério. - aqui, onde tudo está certo, vá calma e limite suas más lembranças e você chegará ao seu destino, seja qual for, muito mais rápido e como menos acidentes no percurso.”

“ - Dor é dor, gata. Só porque o problema de uma pessoa é menos traumático que o de outra, não significa que deve doer menos.”

Camryn é sem duvidas uma das minhas protagonistas FAVORITAS até hoje - e olha que eu não falo isso de todas que eu leio . - Ela não é do tipo que fica se queixando sobre tudo o tempo todo, nem faz drama pelo que passou. É só uma garota tentando se encontrar na estrada. 
Andrew é “O” cara. Sem brincadeiras, eu me apaixonei por ele desde o momento que ele se encontrou com a Cam. Seu estilo “eu não importo com o que vão dizer” me fez suspirar o livro todo. E as tatuagens. Vou confessar que eu AMO garotos tatuados, eles são sexys. 

“ O coração sempre vence a razão. O coração, embora seja imprudente,suicida e masoquista de um jeito só seu, sempre ganha a parada. A razão pode ser a melhor opção, mas agora tô cagando para o que a voz da razão tá me dizendo. “


A cada capítulo eu me via ansiosa para passar para o próximo e saber se eles dois dariam certo. Apesar de saber o livro todo que eles nasceram para estarem juntos. Era como se o buraco que havia na vida dele, ela nascera para completar. Como se Andrew fosse o escolhido desde sempre para reviver a Camryn.


“- Eu quero você, porra! A ideia de você ir embora e nunca mais te ver me-rasga-por-dentro! - minha garganta arde como se estivesse em chamas. - Não consigo respirar sem você, caralho!”

Quando a viagem dos dois os leva a New Orleans eu enlouqueci. Sério, eu apenas amo esta cidade.  E as coisas que acontecem lá são de tirar o fôlego. 

Adorei as influências musicais dos personagens, por quê eu conhecia TODAS as músicas e bandas mencionadas! *---* e confesso que vou aprender a cantar a música que a Cam canta em uma cena, ou não me chamo Stephanie. 
Meu coração apertou no peito no penultimo capítulo. Porque foi apenas lá, que eu entendi por quê Andrew era tão inseguro em relação a ele e Cam ficarem juntos. Porque ele vivia com o pé atrás.

“ Eu quero Camryn, quero de todas as formas imagináveis, mas não consigo nem pensar em partir seu coração - aquele corpinho dela é outra história; eu adoraria judiar dele. Mas, se ela se entregar pra mim, é o que vai acontecer no final: vou partir o coração dela ( e o meu).”

E então, o ultimo capitulo. Seu primeiro parágrafo e de me fazer chorar e acreditar que o pior havia acontecido. De amaldiçoar J.A , pelo que ela fez. Mas então, meu coração dá um batimento de esperança.

“ Mais uma coisa: não se sinta culpada por não ter dito que me amava. Não precisava dizer. Eu sabia disso o tempo todo.”

O final foi... diferente do que eu esperava. Um diferente bom. De deixar me boquiaberta. Um livro, sexy , penetrante e envolte. Eu ri, chorei, ri de novo, ofeguei e ainda quero mais e mais. 

xoxo

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Resenha - Kelly Creagh - Nevermore - Livro 1

Kelly Creagh - Nevermore - Livro 1

Sinopse

A líder de torcida Isobel Lanley fica horrorizada quando descobre que seu parceiro para o projeto de inglês é Varen Nethers e que o projeto deve ser entregue — tão injusto — no dia do jogo contra o rival do colégio. Frio e indiferente, cínico e com a língua afiada, Varen deixa claro que ele também preferia não ter que estudar com ela. Porém, quando Isobel descobre um texto estranho escrito no diário de Varen, acaba vendo com outros olhos esse enigmático garoto de olhar expressivo.
Logo Isobel começa a inventar desculpas para poder encontrar Varen. Afastando-se cada vez mais de seus amigos e do namorado possessivo, Isobel entra mais fundo no mundo de sonhos que Varen criou nas páginas de seu diário, um mundo onde as aterradoras histórias de Edgar Allan Poe ganham vida.
Enquanto seu mundo começa a desmoronar ao seu redor, Isobel descobre que os sonhos, assim como as palavras, têm mais poder do que ela imaginava, e que as realidades mais assustadoras são aquelas criadas pela mente. Agora ela precisa encontrar uma maneira de chegar a Varen antes que ele seja consumido pelas sombras de seus próprios pesadelos.

A vida dele depende disso.

Resenha

Primeiramente gostaria de dizer que julguei este livro pela capa, que é absolutamente linda e sombria, as pontas das páginas pretas ainda dão um ar mais sombrio ainda ao livro, e posso dizer que o livro superou minhas expectativas. Nunca li Poe, mas depois desse livro fiquei com muita vontade de ler, principalmente o conto O corvo.

A trama gira em torno de Isobel a protagonista que se depara sendo obrigada a fazer um trabalho de literatura de Halloween, o trabalho é em dupla e consiste em falar sobre um autor de histórias de terror que já tenha falecido. O professor que escolheu as duplas e Isobel foi pareada com o rapaz mais esquisito da turma, Varen, ele é do grupo dos góticos, sempre calado com suas roupas pretas e os olhos delineados de preto, os olhos verdes mais obscuros e intrigantes que Isobel já conheceu.

Isobel não gosta nenhum um pouco de sua dupla, mas não tem outra escolha, Varen anota o número de seu telefone na mão de Isobel com uma caneta roxa para que combinem de fazer o trabalho e sua melhor amiga acaba contando o ocorrido para seu namorado que conta para o namorado de Isobel que começa a ameaçar Varrem para que fique longe de Isobel. Após as atitudes machistas e idiotas do namorado com relação à Varen, Isobel decide terminar o namoro, sem perceber que está cada vez mais encantada com Varen.

Varen decide que o trabalho será sobre Edgard Allan Poe e entrega um livro para Isobel ler e marcam de se encontrar.  Coisas estranhas começam a acontecer com Isobel, ela começa a ver vultos e a se sentir perseguida e sem contar pesadelos com um estranho homem.

Não irei me aprofundar mais na história para não soltar spoiler, só tenho a dizer que o livro é muito bom, que não queria que acabasse, a cada página ficava mais interessante. O livro mescla os mistérios da morte de Poe com a trama, que ficou muito interessante, um universo sombrio que me fez até ter pesadelos.

O livro é narrado em terceira pessoa e é o primeiro de uma trilogia, e acredite, assim que acabar você vai precisar desesperadamente da continuação e ainda bem que ela já foi lançada aqui no Brasil e estarei lendo muito em breve.

Recomendo a leitura para que gosta de Edgard Allan Poe e para quem curte livros sombrios.

Classificação




quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Resenha: Profundamente Sua - de Sylvia Day


Oiee amoreees! tudo bem com vocês? Estão se sentindo "quentes" ultimamente? hahahaha olha quem tá de volta ...

Profundamente Sua
Autor(a) : Sylvia Day
Saga: 2º livro de “Crossfire”
Nº de páginas : 251
Minha música tema : Whatya Want from me - Adam Lambert
Classificação : 4 / 5


A história de Eva e Gideon continua, mais eletrizante do que nunca. Prontos para se tornar obsessivos?

Sinopse: Gideon Cross. Ele é tão bonito e perfeito do lado de fora quanto é danificado e atormentado no interior. Ele era uma chama brilhante e ardente que me chamuscou com o mais escuro dos prazeres. Eu não poderia ficar longe. Eu não queria. Ele era o meu vício... meu desejo... todo meu. Meu passado foi tão violento quanto o dele, e eu estava tão machucada. Nós nunca iríamos ser normais. Era muito difícil, muito doloroso... exceto quando era perfeito. Aqueles momentos em que a voragem do amor desesperado eram a loucura mais requintada. Fomos completamente subjugados pela nossa necessidade. E a nossa paixão nos levaria além dos nossos limites para a mais doce borda da mais nítida obsessão.

Confesso que fui com muita sede ao pote. Tanto que no começo da leitura, o livro estava se tornando chato e previsível demais.
Eva aparece mais quente e safada, enquanto Gideon está ali, pronto para satisfazê-la.
“-Você é um deus do prazer em vários sentidos, então.- Deus do prazer?- sua expressão bem humorada - Gasto toda a minha energia idolatrando você.”
Eles tentam ao máximo possível seguir uma vida normal - o mais normal que se é possível quando se namora um bilionário - e tudo até parecia estar indo bem, até demais quando as primeiras reviravoltas começam. Os pesadelos de ambos voltam e o amor deles é posto à prova durante todo o livro.
“ - Se eu desistir de Gideon, ele nunca mais ia ter alguém. Não posso…-Isso não é problema seu, Eva… puta que pariu. Você não tem que salvar esse cara.-É que.. você não entende. É ele quem está me salvando.”
Então,  o que para mim estava sendo previsível e chegando a me desanimar, se torna viciante. Eu sei parece loucura, mas toma uma guinada … Eva está achando que Gideon mente para ela e um ex namorado rockstar - porque ela não é fraca, não meu amor hahahaha - volta a procura da mesma.  E parece que os fantasmas de Gideon estão prestes a serem revelados.
Holy shit. O cara começa a ficar distante e confesso que todas as vezes que ele era rude, a ignorava ou não estava lá por ela, meu coração apertava no peito e eu queria saber o motivo dessa mudança de atitudes repentina.
E  garanto que tudo vai ser explicado no final… E QUE EXPLICAÇÃO! Me surpreendi com o que o amor obsessivo é capaz de realizar.
“ - Estou obcecado, meu anjo. Viciado. Você é tudo que eu sempre quis e preciso. Tudo com o que eu sempre sonhei. Você é tudo. Eu vivo e respiro po você. Por você”
Passei a madrugada chorando no final e tocando repetidamente minha música tema para este livro como uma leitora cheia de emoções que não podiam ser compartilhadas aquela hora da noite. hahahaha

ps: lembra que eu falei que não sentiria falta de nenhum personagem secundário se chegasse a morrer? Então. Esse meu pensamento foi posta a prova de fogo e eu estava enganada. Se esse personagem morresse, eu realmente sentira sua falta na história de Gideon e Eva :p
xoxo

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Resenha: Mar da Tranquilidade - de Katja Millay


Mar da Tranquilidade
Katja Millay
Editora Arqueiro


Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.

Resenha

Até que morrer não é tão ruim assim depois que já aconteceu uma vez. 
E eu já morri.
Não tenho mais medo da morte.
Tenho medo de todo o resto.

Já passou da meia-noite e amanhã eu acordo cedo para ir trabalhar, então o mais lógico seria eu ir dormir, certo? Lógico que não! Eu acabei de ler Mar da Tranquilidade, livro lançado em setembro e que a nossa parceira editora Arqueiro disponibilizou para resenha, e eu preciso falar dele com alguém! Como nenhuma das minhas amigas leram ainda (destaque no ainda, porque não irei sossegar até todas lerem!), me restou fazer uma resenha a essa hora. Mas confesso que estou nervosa por escrever a resenha desse livro, pois eu amei tanto que eu gostaria que todo mundo o lesse e tenho medo de não conseguir expressar quão bom ele é. Mas antes de me empolgar descrevendo o porque eu amei tanto esse livro, eu vou falar um pouco sobre ele.

Mar da Tranquilidade conta a estória de Nastya Kashnikov e Josh Bennett. 

Nastya é uma garota de 17 que não fala e que está iniciando o ano letivo em uma nova escola. Tudo o que ela deseja é que ninguém queira sequer chegar perto dela. Ela está tentando fugir de algo do seu passado e de quebra da sua família que não a deixa esquecer desse mesmo passado. Alguma coisa aconteceu com Nastya, algo tão grave que mudou completamente quem ela era, ou como ela diz, que a matou. Para evitar que as pessoas dessa nova escola, ela adota um visual prostituta gótica (juro que não fui que inventei isso) que choca e afasta todos de perto dela. Esse é o novo começo para ela, um lugar onde ninguém sabe quem ela é, nem o que aconteceu com ela (inclusive a gente).

Três anos atrás, minha mãe teria dado um chilique, chorado, lamentado suas falhas como mãe ou possivelmente me trancado no quarto se me visse desse jeito na escola. Hoje, me olharia com ar de decepção mas perguntaria se isso me faz feliz, então eu concordaria com a cabeça e mentiria, e aí poderíamos fingir que isso não é um problema. Talvez as roupas nem fossem a pior parte. Acho que ela se importaria muito mais com a maquiagem do que com o uniforme de prostituta.

Nastya é realmente uma garota complicada e cheia de segredos. Ela se envolve em mentiras para que ninguém seja capaz de descobrir a verdade sobre ela. Ela não liga para o que pensem dela, desde que não façam perguntas.
Mas ela não é a única complicada nesse livro. Nós também temos o Josh (pausa para suspiro). Assim como Nastya, Josh tem um segredo, ao menos é um segredo para nós, caros leitores. Josh estuda no colégio que Nastya entrou e todo mundo na cidade o conhece e conhece também a sua história. E tem alguma coisa na história dele que faz com que todos o evitem. Josh e Nastya tem outra coisa em comum, ele também quer distância das pessoas. Dois completos antissociais problemáticos.

10:45. Hora do almoço. Por mim, iria direto para a oficina. Acho um saco comer tão cedo. Vou até o pátio e garanto o meu lugar no banco mais distante, o mesmo no qual me sentei nos últimos dois anos. Ninguém me incomoda porque é mais fácil fingir que eu não existo. Eu preferiria passar meia hora varrendo serragem do que ficar sentado aqui, mas ainda não há serragem para varrer.

E é claro que se considerarmos que os dois estão evitando todos os outros alunos, obviamente eles estariam chamando a atenção um do outro. Nastya rapidamente percebe o garoto que todos evitam e Josh percebe a garota que usa roupas minúsculas e pretas e anda toda maquiada. A típica situação de garoto encontra garota e vice-versa. Ambos por sinal ficam felizes por finalmente existir alguém que não conheça o passado deles e que não formem uma imagem pré-estabelecida sobre os mesmos. 

Ainda tenho que passar por mais dois bancos para chegar até o portão duplo, e é o da esquerda que chama a minha atenção. Só tem um garoto sentado nele, bem no meio. Poderia não parecer estranho se todos os outros bancos - aliás, todos os lugares em que alguém pudesse apoiar o traseiro - não estivessem ocupados. Mas não há ninguém naquele banco além dele. Olhando com mais atenção, percebo que não há ninguém nem sequer nas imediações. É como se houvesse um campo de força invisível ao redor daquele espaço e ele fosse o único lá dentro.

A estória do livro flui naturalmente, virar as páginas foi tão automático quanto respirar. Todo esse mistério sobre o que aconteceu no passado de ambos te prende. Você vai juntando as peças do quebra-cabeça que é o passado do Josh junto com a Nastya e o quebra-cabeça da Nastya junto com o Josh. Os personagens são complexos e não me refiro a somente aos dois principais. Todos os personagens são complexos, são humanos. A autora vai além dos típicos estereótipos do high school. É encantador ler página a página o romance surgindo entre eles, tão timidamente. Então você não consegue parar, você sempre pensa "só mais um capítulo" e quando vai ver um capítulo na verdade foram dez ou mais ou o livro todo.

Mesmo assim, é muito bom olhar para ele. Braços bonitos. Não são braços de marombeiro babaca, mas de trabalhador. Eu o vi no primeiro dia na oficina de carpintaria, só por um segundo, mas ele saiu e nunca mais voltou. Agora, o único momento em que o vejo é na hora do almoço. Aqueles míseros segundos que eu passo atravessando o pátio se tornam a parte mais interessante do meu dia. Se eu for sincera comigo mesma, esse precioso tempo é a única razão pela qual ainda atravesso esta droga todo dia.

E não é só de romance que sobrevive esse livro, porque também existe a amizade, e da boas, daquelas que você deseja para você. Outra coisa que me agradou muito foram os diálogos bem construídos, com o toque certo entre drama, humor e romance, com frases inesquecíveis. Então vamos ver o que amei no livro: personagens bem estruturados e complexos (e problemáticos, amo esse tipo de personagens), diálogos, ritmo empolgante, Josh (ops, acho que ele já se encaixava em personagens…), romance diferente do tradicional água com açúcar cheio de clichês. O livro me encantou do início ao fim, até literalmente a última frase.

Em relação ao livro em si, ele tem uma capa linda e tem  as páginas amareladas que eu e os meus olhos tanto amamos, além da fonte no tamanho certo. Mais um excelente trabalho da Arqueiro.

Para resumir tudo, só me resta dizer que devorei o livro em dois dias, quando não o estava lendo eu estava pensando nele. E quando terminei de ler, fui correndo no google para pesquisar mais sobre a autora e fui procurá-la no facebook. Sem dúvidas merece 5 estrelas e vaga na minha lista de favoritos. E para finalizar devo dizer que todos deveriam ler esse livro, principalmente as minhas amigas que vão ter de me aturar falando sobre ele durante muuuuitooo tempo… Ressaca literária garantida, já estou com saudades dele e espero que vire filme!

Ele não me deu algo para me sentar. Ele me deu um lugar.

PS: Eu cortei parte da sinopse oficial do livro porque nela constava o segredo do Josh. Eu li o livro sem ter lido a sinopse e amei o fato de não saber o segredo do Josh logo de cara. Eu teria ficado muito irritada se tivesse lido porque odeio spoiler. Então, se você gosta de spoiler, basta ler a sinopse oficial.

ATUALIZAÇÃO

Consegui!!!! Mar da Tranquilidade é o livro do mês do Clube do Livro Delírios! Todas as minhas amigas irão ler o livro! Missão dada é missão cumprida!

Classificação


Sobre a autora

Katja Millay cresceu na Flórida e se graduou no curso de Produção para Cinema e TV na Tisch School of the Arts, em Nova York. Ela trabalhou como produtora e professora de Roteiro e Cinema. Atualmente mora na Flórida com sua família. Mar da Tranquilidade é o seu primeiro livro e foi eleito um dos melhores títulos de ficção de 2013 pelo School Library Journal.


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Lançamentos de Outubro: Grupo Editorial Pensamento

Oiaaaa!!
Os lançamentos de outubro do Grupo Editorial Pensamento, anotem e adquira!

Chris Hejmanowski
Editora Jangada

Sinopse: O físico de partículas Fin Canty construiu sua reputação provando que os seus experimentos com o Grande Colisor de Hádrons do CERN eram seguros. Com a morte de sua jovem esposa, no entanto, ele tenta recuperar a fé e um pouco de sentido para sua vida, iniciando uma frenética busca para encontrar o Bóson de Higgs, a famosa "Partícula de Deus", o que o faz entrar em rota de colisão com os interesses de outras pessoas e grupos que buscam uma forma de encontrar a prova definitiva da existência do Criador. Após um violento roubo de carro, aparentemente aleatório, Fin Canty é morto de forma misteriosa e, do outro lado da vida, encontra respostas para alguns dos maiores mistérios da ciência. Tais respostas, proporcionadas por seu novo ponto de vista, agora da Existência Cósmica, são acompanhadas pela estarrecedora descoberta de que sua filha Eva, de apenas 3 anos de idade, foi levada ao inferno por seres demoníacos, e Fin fará o que estiver ao seu alcance para salvar a alma dela. Graças à sua indomável força de vontade, a busca de Fin forja a criação de um buraco branco no Grande Colisor de Hádrons, canalizando matéria do Além e oferecendo a prova definitiva da existência de outros mundos, muito diferentes do nosso, e também da vida após a morte. Em uma luta final na qual ele terá que atravessar continentes e múltiplos planos de existência, enfrentar a batalha pelo controle do conhecimento do pós-vida, que envolve a Igreja e a ciência, Fin Canty irá revelar o poder supremo da vontade humana e fará tudo para reunir sua família novamente, mesmo que isso exija o seu próprio sacrifício.

Diário de Estela
Stern & Jem
Editora Jangada

Sinopse: Estela é um anjo do amor, ou melhor, pretende ser, assim que se formar no Instituto Nuvens Altas e conseguir finalmente suas preciosas asas; o que ela acredita não ser tão complicado se não fosse a sua missão: conseguir que dois humanos APS (Amigos para Sempre) se apaixonem. E para dificultar, seu tutor tem fama de ser o mais exigente e que reprova todos os alunos. Em "Diário de Estela", você irá acompanhar dia a dia a complicada missão de Estela para se tornar um anjo do amor e saber porque ela precisa tanto das suas asas.


BREVE

Conheça a Saga Acampamento Shadow Falls

  1. Nascida à meia-noite: http://zip.net/bwl1WW
  2. Desperta ao amanhecer: http://zip.net/bvpz3C
  3. Levada ao entardecer: http://zip.net/bbpzPW
  4. Sussurros ao luar: http://zip.net/brpz0G
  5. Escolhida ao anoitecer: http://zip.net/bvlfCf
Magia Telúrica
Vincent Lauvergne
Editora Pensamento

Sinopse: Mencionada em inúmeras obras de magia moderna, mas nunca tratada com profundidade, a magia telúrica é uma das mais antigas magias e também uma das mais poderosas e sagradas. Nascida nos primórdios do mundo celta e difundida pela tradição oral dos druidas, ela chegou até nós através de fragmentos de diversas tradições e obras antigas. Após mais de dez anos de pesquisas, Vincent Lauvergne conseguiu reunir esses fragmentos, com base tanto na antiga tradição druídica, como também na tradição mais recente, a dos escandinavos, que foram os últimos a estar com os druidas. A prática e a experiência lhe permitiram recuperar rituais e técnicas e adaptar o antigo ao novo.