quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Resenha: O Entregador de Bonecos - de Denis Lenzi


Aaaaaahhhh como estou vibrando de alegria!!

O coração está radiante de felicidade e cheio de amor, claro que depois de ler O ENTREGADOR DE BONECOS de Denis Lenzi, mais uma janela se abriu na redoma que me escondo, o mundo se transformou, passei a enxerga-lo de outro ponto de vista, com mais esperança de paz.


O Entregador de Bonecos

Denis Lenzi

Sinopse: Chegou a hora de acreditar em mim, quer você goste ou não. E, quando tudo acontecer, não sinta medo. O que irá ver é real, e não fruto de sua imaginação. "Eles" querem que você os leve para as crianças. Saberá onde encontrá-las. Os bonecos vão lhe mostrar. Confie neles. São seus amigos. Criei-os com todo amor, muito mais do que você pode imaginar. Se os bonecos pedirem sua ajuda, não recuse. Compartilhe-a com eles." Depois do estranho pedido feito por sua avó, pouco antes de morrer, David Forlin, agora sozinho no mundo, se vê diante de uma importante missão. Custasse o que custasse, cumpriria a promessa feita à avó: entregar os cinco últimos bonecos criados por ela às crianças eleitas, que viviam em diferentes estados da América do Norte. Nesta longa e obscura jornada de David, sempre acompanhado pelas lembranças de sua vida e de seu grande amor, ele tem a oportunidade de, na breve convivência com cada uma das crianças escolhidas para receber os bonecos, emocionar-se com elas e aconselhá-las, chamando sua atenção para os verdadeiros valores humanos e para o poder do amor, da fé, da esperança e do sonho. Uma verdadeira lição de vida. 

Resenha:

Foi como um imã me atraindo para perto dele, estava escrito que àquele livro seria meu, eu leria e anunciaria o grande espetáculo literário que tinha nas mãos. E assim  se fez.

Conheci o autor Denis Lenzi através do Facebook, estava eu enamorando seu livro "O Entregador de Bonecos" publicado inicialmente pela editora Literata. E com muita a simpatia ele respondia as inúmeras perguntas que fazia sobre sua obra e ao saber do meu interesse de ler e resenhar seu livro, logo quis me presentear com um exemplar, para que eu lesse e desse as minhas impressões.
Pena que não fiz isso antes. É um livro mágico, com uma história mágica, com personagens cativantes, que tocaram minha alma.
O Livro se inicia apresentando-nos David, um rapaz de trinta e poucos anos em uma crise amorosa com sua ex-namorada do qual nutria um amor único e verdadeiro.  Quando criança, aos 14 anos, David perdera seus pais em um trágico acidente e passando a viver com sua avó materna, D. Elena, uma senhora bondosa e sorridente, com o hábito de costurar bonecos especiais, feitos de pano e muito amor, para presenteá-los à crianças que ela dizia serem igualmente especiais. David não entendia porque ela se dava ao trabalho de costurar bonecos para se desfazer deles entregando a estranhos, mas ainda assim, admirava a atitude da boa senhora e respeitava isso. Mas, achava estranho o fato de ela passar o tempo todo conversando com os bonecos, que claro não emitia nenhum som em resposta, será que sua avó estava ficando esclerosada?

Em sua fase pós-adolescência, pós-rebeldias, pós-dor-de-cabeça ele conhece seu melhor e inseparável amigo Mike que o apoiou no decorrer de sua nova jornada, mas foi no auge de seus 20 anos na festa de comemoração da independência em um parque de diversões que conheceu e se encantou pela doce Mayra, a jovem que tornou a razão do seu viver, seu porto seguro, sua alegria e sua amada. David já imaginava seu futuro ao lado de sua Mayra, planejava tomá-la por esposa e vivia um romance arrebatador, quando algo aconteceu destruindo seus sonhos e trazendo a tona dor e desprezo pela amada.
“- Eu sei que dói. E dói porque você é bom. Conhece o amor de verdade, e esse amor foi ferido. A dor vai lhe trazer amadurecimento e, com o tempo, você irá esquecê-la e renovar seu coração. Transformar a dor em aprendizado. É isso que fazem os mais fortes.” – Página 230.

Em fase de isolamento e depressão, tentava esquecer sua ex a todo custo e mais uma vez David é pego pelo destino cruel, tendo que enfrentar mais uma perda. Sua avó, vem a falecer após uma nova tragédia na família, mas antes do ultimo suspiro, D. Elena lhe faz um estranho pedido. Pede a David que entregue os últimos cinco bonecos que fizera a crianças já minuciosamente escolhidas. Ele não se permitia negar um ultimo desejo de sua avó, sendo assim, mesmo contra a sua vontade segue viagem rumo as crianças especiais com cinco bonecos inacreditavelmente diferentes em sua mochila. 
"Muitas vezes esse verdadeiro amor só chega depois de travessias por caminhos tortuosos e sofridos. Quando os caminhos são fáceis demais, não nos tornamos maduros o suficiente para vivenciar um amor maior." – Página 230.
Caminhos tortuosos ele vai percorrer, "coisas" estranhas ele vai achar, amigos e inimigos ele vai encontrar e provas de resistência irá passar. David estaria sozinho e seguro nessa jornada?

Impressões: 

Possuo em minhas mãos a primeira edição do livro que foi publicado pela Editora Literata, capa belíssima, diagramação fantástica e fonte sob medida, para a ceguinha como eu, para pessoas com dificuldades de ler livros com minúsculas letrinhas, pois são bem grandinhas e ainda no papel creme!! Tem 273 páginas divididas em 36 capítulos curtinhos que ajudou devorar o livro, não cansou, nos dá a sensação de leveza e fluidez, aliás, achei brilhante as páginas pretas que a editora fez para marcar o início dos capítulos deu um toque misterioso no livro. Denis tem uma escrita impecável e de fácil entendimento. No resumo, o termo técnico do livro está fabuloso e ao encerrar, me deu uma vontade enooooorme de reiniciar a leitura e apreciar cada detalhe que possa ter me escapado.

A segunda edição publicada pela MODO Editorial, também possui uma capa impecável, digna de uma obra-prima, bom, devo informar que a capa foi criada pelo autor, então, parabéns Denis!!

Fiquei encantada com a história, foi muito comovente todo o processo de readaptação e aceitação de David, ele tornou-se uma rapaz triste e amargo para a vida, mas como já diz o ditado "Há males que vem para o bem", as tragédias que ele presenciou de certa forma lhe serviu para  amadurecer e aprender com as dificuldades. David não era um rapaz rabugento, apenas estava de olhos vendados para as coisas boas que a todo momento batia-lhe a porta, diversas vezes ele esteve tão mergulhado em seus próprios problemas que mal dava atenção nas soluções diante de seus olhos.

Precisou ir até o fundo do poço para se achar, bastou tirar a venda pra enxergar o milagre diante dele e só assim, passou a perceber que existiam pessoas em condições piores e que sobreviviam na esperança de dias melhores. A violência, fome, o desprezo, descaso, maus tratos, enfim, eram milhares de situações difíceis que as crianças encontradas por David viviam e bastou-lhes pequenos gestos, pequenas atitudes, minimas palavras para que  suas vidas tornassem mais agradáveis diante das dificuldades.
A parte sobrenatural do livro veio no momento certo, toda a escuridão foi ofuscada pela luz e seres do lado negro sentiam-se incomodados com o bem, fariam de tudo pra manter-se no breu e levar alguns com eles, tentariam arrastar tudo que fosse benigno para manter o caos na terra. Cabia a David resistir e manter-se forte para ajudar as vítimas do mal.

A mensagem de amor ao próximo que esse belo livro nos transmite é de arrepiar. De fato, o mal está em todo lugar, mas o bem se sobrepõem e prevalece se tivermos discernimento, sabedoria e bom coração. Ter boas atitudes nos faz se dignos e fortes. A recompensa é sempre a melhor parte, um sorriso, uma lágrima de alegria, um abraço, que vem para cura r todas as feridas da alma. E isso David irá aprender em sua jornada chamada vida.

Precisamos de mais livros assim, que nos preencha com sentimentos bons. Faça valer a pena cada página lida. Se você não conhecia "O Entregador de Bonecos", leia sem medo de arriscar, vai sentir-se muito bem após essa fantástica leitura!

Denis, foi uma honra ler sua obra, reverencio-te. Parabéns!

https://www.facebook.com/pages/O-Entregador-de-Bonecos/115337481914901

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Resenha - Carlos Ruiz Zafón - O Príncipe da Névoa Trilogia da Névoa - vol. 1


Carlos Ruiz Zafón - O Príncipe da Névoa 
Trilogia da Névoa - vol. 1 
Editora Suma


Sinopse 

Em 1943, a família do jovem Max Carver muda para um vilarejo no litoral, por decisão do pai, um relojoeiro e inventor. Porém, a nova casa dos Carver está cercada de mistérios. Atrás do imóvel, Max descobre um jardim abandonado, contendo uma estranha estátua e símbolos desconhecidos. Os novos moradores se sentem cada vez mais ansiosos: a irmã de Max, Alicia, tem sonhos perturbadores, enquanto ao outra irmã, Irina, ouve vozes que sussurram para ela de um velho armário. Com a ajuda de Roland, um novo amigo, Max também descobre os restos de um barco que afundou há muitos anos, numa terrível tempestade.

Enquanto os adolescentes exploram o naufrágio, investigam os mistérios e vivem um primeiro amor, um diabólico personagem surge na trama.


Resenha

Zafon é um autor brilhante e sua escrita é deliciosa de se ler. Meu primeiro livro dele foi Marina, que é um livro infanto-juvenil com um toque de terror, fiquei fascinada. Uma amiga sempre me falou muito bem de A sombra do vento, então decidi ler, esse é um livro mais maduro e é simplesmente fantástico, depois li os outros livros dessa série que só fizeram me apaixonar ainda mais por Zafón e sua escrita perfeita. Depois disso a Suma das Letras resolver lançar uma trilogia do autor que também é infanto-juvenil, e claro que não pude deixar de conferir e comecei já a ler o primeiro livro da trilogia que é o livro que venho falar um pouco dele para vocês O Príncipe da Névoa. 

Descobri que O Príncipe da Névoa foi na verdade o primeiro livro escrito pelo autor, o livro é muito gostoso de ler, tem um toque sombrio que ele sabe dar perfeitamente, porém pude perceber que o autor só vem evoluindo a cada obra publicada e já entrou para lista de meus autores favoritos.

O livro é rápido de ler e é narrado em terceira pessoa, contando a história de Max Craver, que em meados da segunda guerra mundial em 1943, sua família resolve se mudar para uma casa abandonada há tempos em vilarejo no litoral, o lugar é bem tranquilo e longe do tumulto da guerra.

"Até num dia de luz deslumbrante como aquele, o fantasma invisível da guerra envolvia o futuro com seu manto de trevas."

Após a mudança Max descobre um jardim abandonado com estátuas e uma muito estranha de um palhaço muito assustador. Coisas assustadoras começam a perturbar Max e também sua irmã mais nova. Após passear pelo vilarejo, Max acaba conhecendo Roland que vem a se tornar seu amigo e junto com sua irmã mais velha, os três irão começar a desvendar os mistérios que rondam a nova casa de Max. 

"Quando chovia forte, Max tinha a impressão de que o tempo parava. Era como uma trégua, na qual todos podiam chegar à janela para contemplar, durante horas a fio,o espetáculo daquela cortina infinita de lágrimas do céu."

Eu adoro histórias infanto-juvenis assustadoras até mais que as adultas. O livro é muito bacana e fechou a história muito bem, ainda não sei o que me espera nos próximos livros da trilogia.

"A diversão é como um ópio: nos tira da miséria e da dor, embora seja tão fugaz."

Com já mencionei acima, este e o primeiro livro escrito pelo autor, se você é fã da série Cemitério dos livros esquecidos, não pode esperar a mesma narrativa mais madura e sarcástica do autor, pois esse livro é mais infantil e autor só vem evoluindo a cada livro escrito. Com certeza irei continuar lendo a trilogia e recomendo a leitura para todas as idades.

Classificação






segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Resenha: Insígnia - de S.J. Kincaid

Insígnia
Livro 1 - A Arma Secreta
S.J. Kincaid
V&R Editoras


Sinopse: Terceira Guerra Mundial. O inimigo está vencendo. E se a arma para virar o jogo fosse você?

Resenha

Para o mundo e para si mesmo, Tom não passa de um insignificante garoto de 14 anos. Um garoto sem lar, abandonado pela mãe e com um pai viciado em jogos. Não é uma vida fácil e na maioria das vezes ele é o responsável por conseguir a comida e o abrigo para seu pai e para si próprio. No mundo de Tom está ocorrendo a Terceira Guerra Mundial, mas essa guerra é bem diferente das duas últimas, pois o mundo também está bem diferente de quando as duas últimas ocorreram. Não há o registro de nenhuma morte na guerra, pois ela agora é travada  no espaço por máquinas controladas por adolescentes. O objetivo dessa guerra é garantir os direitos de exploração de minerais no espaço, mas quem está reivindicando tais direitos não são países e sim empresas, grandes multinacionais. Essas empresas se tornaram as verdadeiras responsáveis por governar o mundo e todos os governos se sujeitam à elas.


Ao travar guerras em outros planetas e evitar combates na Terra, solucionamos as disputas por meio da violência, mas evitamos a maioria das consequências das guerras tradicionais, como ferimentos debilitantes, morte de seres humanos, destruição da infraestrutura e contaminação ambiental.

Mas Tom não está preocupado com a guerra. Afinal ele é um adolescente que nem ao menos pode frequentar uma escola normal por nunca poder ficar em um mesmo lugar durante muito tempo. Tom frequenta uma escola na RV (Realidade Virtual), mas até mesmo nesse tipo de escola, que é o último recurso, ele está encontrando dificuldade para comparecer às aulas. Com uma vida tão desestruturada como essa, os jogos na RV se tornam sua fuga e seus únicos amigos. Tom não tem muitas perspectivas e não consegue imaginar um futuro para si próprio nesse mundo tão competitivo.

- Finja que será amanhã. O que vai fazer da vida? Qual é o seu talento?
- Meu talento é… São… - ele se calou.
- Qual é?
Tom não conseguiu responder nada diferente, por tanto verbalizou o que estava em sua mente.
- São os jogos.
A palavra pairou no ar entre eles, e Tom teve a impressão de que ela soara um tanto deprimente.
- Podemos dizer o mesmo do seu pai, Tom. Onde  ele está agora?

Felizmente para Tom, existe pessoas que diferentemente de sua professora consideram o seu dom com os jogos muito especial e importante.

- Meu nome é general Terry Marsh. Como deve saber, o governo monitora o país em busca de alguns de nossos jovens mais promissores para recrutá-los como combatentes na guerra.

Por seus notáveis talentos com jogos, Tom é convidado a entrar no treinamento especial do exército para um dia talvez ser um dos adolescentes responsáveis por controlar as máquinas que são utilizadas na guerra. Para Tom é como se um sonho se tornasse realidade, ele poderia enfim ser alguém importante e ao mesmo tempo ter a oportunidade de "jogar" o melhor jogo de todos. Mas o pai de Tom, Neil, não vê essa oportunidade com os mesmos olhos. Neill sempre foi aquele tipo de pessoa que vê conspiração em todos os lugares. Ele não confia no governo e odeia as multinacionais que controlam o mundo. Ele parece ser um dos poucos que vê o absurdo de governos gastarem recursos públicos com uma guerra em que os únicos beneficiados são empresas privadas. Neil não queria dar a autorização para Tom fosse para o treinamento, mas no final acaba cedendo.

- Tom - Neil passou a mão pelos cabelos do jovem -, aconteça o que acontecer, você precisa cuidar de si mesmo. Entendeu?
- Entendi.
Tom não pôde deixar de se inquietar com a expressão no rosto do pai quando partiu com Marsh. Neil o olhava como se tivesse certeza de que aquela era a última vez que veria o filho.

Ao chegar a Agulha Pentagonal, antigo Pentágono, Tom começará a perceber que nem tudo é como lhe foi passado, que o general Marsh escondeu informações muito importantes quando o recrutou e que agora ele deve decidir se segue em frente, apesar de tudo, para tentar atingir o sonho de ser alguém importante ou se volta para casa, para seu pai, as incertezas e para ser novamente o zé ninguém que sempre foi. E se ficar, Tom precisará começar a encarar a guerra pelo que realmente é e tentar descobrir a verdadeira razão pela qual foi escolhido.

"O factor que decide o resultado de guerras, batalhas e até de pequenos combates é a perda da esperança, e não a perda da vida"

Comecei a ler o livro com grandes expectativas e ele não me decepcionou. A cada página ele me conquistava mais. A narrativa é excelente, em nenhum momento a leitura se tornou cansativa. Eu amei os personagens e amei todo o conceito proposto pela estória. Não sei se esse livro pode ser considerado uma distopia, ao meu ver não é. Tirando as máquinas travando guerras no espaço, eu não acho que nosso mundo está muito distante desse futuro descrito no livro. A cada vez mais os governos deixam de governar pelo povo e governam para as empresas. Aos pouco tudo está sendo patenteado, políticos utilizam dinheiro de empresas para serem eleitos e depois governam para favorecer essas mesmas empresas (familiar? pois é…). Esse livro quase soa como um alerta de para onde nossa sociedade está indo. Entrou merecidamente na minha lista de favoritos. 

Como programadora devo dizer, como não amar uma capa coberta com códigos binários? Mas além disso, a  capa toda é linda! O nome do livro parece que está sendo exibido em uma tela. Todo esse efeito entre números binário brilhando suavemente ao fundo e o título ao estilo abertura de Supernatural é sensacional! Simplesmente amei essa capa! O livro tem as páginas amareladas (os meus olhos agradecem), fonte no tamanho certo (os meus olhos agradecem novamente) e texto centralizado na página (os meus olhos estão erguendo um templo para poder idolatrar a V&R). Resumindo, a V&R arrasou mais uma vez, parabéns!

Classificação



Sobre a autora


S.J. Kincaid nasceu no Alabama, cresceu na Califórnia e frequentou o segundo grau em New Hampshire, mas foi quando durante o tempo em que viveu ao lado de um cemitério mal assombrando na Escócia que ela descobriu que queria ser escritora. Estudou nas universidades de Illinois e Ohio. Ela também já quis ser astronauta. Insígnia é o seu primeiro romance e ele é o primeiro livro de uma trilogia, que conta também com Vórtex, já publicado pela V&R com o nome de Insígnia - o Vórtex Negro, e Catalyst, que será lançado nos EUA em 28/10/14.



domingo, 14 de setembro de 2014

Aconteceu! Lançamento "A Máquina de Contar Histórias" Maurício Gomyde


Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!  Alegria contagia pessoal!


Ontem  aconteceu na Livraria Cultura, na Cinelândia a tarde de autógrafos e lançamento do livro A MÁQUINA DE CONTAR HISTÓRIAS de Maurício Gomyde publicado pela Editora Novo Conceito. Foi demais, um dos melhores eventos que participei. Muita gente amiga, animada, sorridente, transmitindo uma energia boa pra todos nós.
Queríamos surpreender o autor, nós, as Poderosas do Gomyde, fizemos camisas com a marca dele, docinhos, enfeites e uma surpresa que deixamos para o final. Um pequeno boneco representando o nosso autor Maurício Gomyde e sua tradicional bermuda. (Me pergunto se Maurício casou de bermuda) 
A casa ficou cheia, todos vieram prestigiar o autor, todos queriam fazer parte dessa festa deliciosa. Autores, leitores, blogueiros, conhecidos e desconhecidos que se tornou conhecido... (frase estranha mas vale a intenção) E foi 10 gente, graças a vocês.
Muita animação, muito sorriso nos rostos, muita bagunça e descontração. Estávamos em família. Foi um sábado muito agradável em meio de pessoas que fazem a nossa história valer a pena ser lida e repassada.
 Marcus Siani e eu
 Mariana Mortani, blogueira e contorcionista 
 Maurício, Tammy Luciano e o rato debaixo da mesa
Marco de Moraes Maurício e o encosto
 Flávia Calil, Evany Bastos e eu!
 Thatiana Mortani e Eu!
Eu surtando e fazendo vergonha ao Maurício, ganhei o livro de Graciela Mayrink no sorteio.
Consegui ler os pensamentos do autor, dizia: "Onde fui amarrar meu bode?" "Comporte-se mulher!"
Tirando uma casquinha da caneca de Carolina Gama
As corujinha do Cia, Danielle Peçanha, Stephanie Assis, Patrícia Paiva, Paty Nayara, Any Alves, Roberta Rocha, também estiveram firmes e fortes no lançamento. 
Que equipe linda gente!!

Parabéns Maurício
Isso é só o começo de uma próspera caminhada ao sucesso.
Jô Soares fica minha dica pra você, convide Maurício para um bate-papo descontraído!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Resenha: Feérica - de Carolina Munhóz

Feérica
Carolina Munhóz
Fantasy - Casa da Palavra


Sinopse: Violet Lashian tem apenas um objetivo: ser famosa em seu mundo. Mas quem nunca se seduziu por esse pensamento? Ignorada pelas fadas de uma sociedade que preza a padronização, a jovem de cabelos roxos decide abandonar seu sofrimento em busca de um lugar entre as estrelas de Hollywood. Bastidores de reality shows. Festas badaladas. Encontros amorosos com jovens milionários. Entrevistas em rede mundial. Fama instantânea, dinheiro e poder. De repente, a feérica se vê cercada pela realidade com que sempre sonhou. Mas será que Violet é capaz de manter a pureza de sua raça mágica em um mundo corrompido pelo deslumbre material? E quais seriam as reais consequências de sua revelação para existência oculta de seu povo?

Resenha

Violet Lashian é como qualquer outra adolescente humana, ama moda, maquiagem, celebridades, etc., o único problema é que ela não é uma adolescente humana, Violet é uma fada. A sociedade das fadas valoriza a padronização e está sempre buscando a perfeição, e isso é tudo que Violet não é. Violet é original, cheia de criatividade e quer ser famosa e importante, ela quer ser uma pic-pop. Desde criança essa fadinha sempre foi apaixonada pela cultura pop humana (te entendo completamente Violet). Tanto que até mesmo compra roupas e maquiagem contrabandeada da dimensão dos humanos. 

- Além disso, Billy B e a incrível Milady Gagá são divos, entendeu? Criaturas celestiais jogadas na terra para brilhar em pó de pirlimpimpim! - completou a fada com cabelo violeta.
- Igual a Sininho?
Violet revirou os olhos.
- Eu já disse que não gosto dessa daí…
- Por que ela é famosa de verdade?
- Ela NÃO é famosa! invocou-se Violet. - Peter Pan é famoso! Essa outra é só uma sirigaita que se aproveitou da fama dele...

As outras fadas não conseguem compreender isso, afinal era para os humanos venerarem as fadas e não o contrário. Mas mesmo não sendo compreendida ela com certeza chama a atenção e não só por causa do cabelo roxo. E acaba que ela chama atenção da Queen Bitch Bee do colégio, Bree, sim elas existem também na dimensão das fadas, uma verdadeira praga interdimensional.
Bree então arma uma cilada para Violet e essa por medo de ser injustamente punida e também por ter sempre desejado, foge para a dimensão dos humanos.
E ela não vai para qualquer lugar não, ela vai parar justamente em Hollywood. Existe melhor lugar para uma fada que quer ser uma estrela? Mas ao chegar por aqui ela começa a perceber que ser famosa não é tão fácil assim…

O curioso era que, por mais que Violet fosse um ser considerado sobrenatural naquele plano, a aparência singular não era algo extravagante em uma cidade como aquela.

Mas depois de uma dica, Violet traça o seu plano infalível de ficar famosa. Ela irá se revelar para os humanos em um reality show musical, não tem como dar errado!
E ela faz a revelação e choca um planeta inteiro! De repente o vídeo de sua apresentação é o mais visto do youtube (foi mal Psy). Todos querem saber mais sobre a fada, de onde veio, por que veio. Ela veio para salvar os humanos? Veio para destruí-los? Mas Violet resume seu único objetivo de forma bem simples:

- Meu nome é Violet Lashian. Acho que para vocês eu teria uns 17 anos. E quero ser o próximo ídolo americano porque vocês estão acostumados a ver fadas realizarem os seus sonhos, e acho justo pela primeira vez realizarem o sonho de uma fada.

A partir de então a vida de Violet e do resto do mundo não será mais a mesma. Todo mundo, literalmente, quer saber mais sobre a fada mais famosa que existe (chupa essa Sininho), nem que todo mundo tenha de seguí-la 24 horas por dia… hum, isso está até parecendo reality show… então por que não? Então que entre no ar a primeira temporada de Feérica, o maior reality show de todos os tempos!
Agora todos poderão seguir Violet e ver como ela irá se comportar nesse novo mundo de fama, riqueza e conquistas amorosas.

Eu comprei esse livro na bienal do livro do Rio no ano passado (2013) e devido ao fato de eu ser uma compradora de livros compulsiva, eu acabei demorando esse tempo todo para lê-lo. Bem, o meu primeiro pensamento assim que comecei a ler foi "por que diabos eu demorei tanto tempo para ler esse livro?!". Eu simplesmente amei o livro, 5 estrelas! Ele é recheado de referências a cultura pop! Os títulos dos capítulos são frases retiradas dos seriados, e eu tenho o orgulho de dizer que consegui identificar a maioria! Comparando esse livro com os outros da Carol que eu já li (ainda não li O Reino), devo dizer que esse é o mais fluido dela. O ritmo dele é perfeito, você quer ler sem parar! Além das referências pops, eu amei também esse lado mais humorístico da escrita da Carol, que não aparecia tanto nos outros livros. Tem uma passagem que tenho de mostrar! Sem citar nomes, ela vai descrevendo diferentes livros, e eu tenho mais uma vez o orgulho de anunciar que eu já li todos esses livros!!! Admito que comecei a ler esse trecho com um sorriso no rosto, que foi ficando cada vez maior a cada livro descrito. 

(…) Lia sobre vampiros que brilhavam, lobos que se depilavam, bruxos que domesticavam corujas, elfos que falavam com anões, portais em guarda-roupas, seres humanos e sobrenaturais brigando por um mesmo trono, órfãos encontrando ovos de dragões, filhos de deuses gregos correndo atrás dos raios dos pais, sociedade de seres perfeitos, triângulos amorosos adolescentes em meio a reality shows mortais, mundos esféricos sustentados pelos ombros de quatro elefantes sobre o casco de uma tartaruga, havia até mesmo uma polícia das fadas perseguindo um gênio do crime que roubava dinheiro do mundo feérico! (…)

A capa do livro é simplesmente perfeita, não poderia ser melhor. E uma coisa curiosa é que somente quando peguei o livro para ler é que percebi pela primeira vez o trabalho especial na asa da Violet. Eu nem tinha reparado que tinha uma asa ali, sou realmente uma tapada…
O livro foi impresso nesse papel amarelado que é maravilhoso, ele não te deixa com a vista cansada. 

Então para finalizar eu só posso dizer…. EU QUERO ASSISTIR LER A SEGUNDA TEMPORADA DE FEÉRICA!!!

Bônus! Seguem abaixo duas fotos da apresentação da Violet no Moulin Rouge em Paris.




Classificação


Sobre a autora

Carolina Munhóz é uma autora brasileira extremamente fofa!!! Uma verdadeira fada!!! Ela é integrante do Potterish, que é o maior portal de Harry Potter no Brasil e um dos maiores do mundo. Além de Feérica, a Carolina tem outros 3 livros publicados: A Fada, O Inverno das Fadas e o lançamento O Reino das Vozes que Não se  Calam (que eu ainda não possuo autografado, então ela que se prepare porque irei persegui-la). Ela também tem um livro infantil ainda não publicado, Eu quero ser um herói. E também um conto chamado Fui uma boa menina?

Os livros A Fada e O Inverno das Fadas foram publicados pela Fantasy - Casa da Palavra. A Fada também já foi publicado por outras editoras como Novo Século. O conto Fui uma boa menina? foi a sua estréia na editora Rocco, onde ela também publicou O Reino das Vozes que Não se Calam. O conto está disponível para download gratuito no site da Amazon. PS: Foi difícil escolher a foto da Carol para colocar aqui, as fotos dela são sempre tão lindas!



quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Resenha: Pausa - de Colleen Hoover

PAUSA
Série: Slammed #2
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record

Emoção, diversão, amor, vida e poesia são garantidos!

Mas, as lágrimas certamente serão incontroláveis!


Este livro é continuação de Métrica, então à resenha contém trechos que você poderá interpretar como Spoiler!

Sinopse: Depois de testado por tragédias, proibições e desencontros, o relacionamento de Layken e Will enfrenta novos desafios. Talvez a poesia desse casal acabe num verão solitário... Sem direito a rimas ou ritmo. A ex-namorada de Will retorna arrependida de ter deixado o rapaz. E está disposta a tudo para reconquistá-lo. Insegura, Layken começa a ler novas reações no comportamento do rapaz. 

Presos em uma ironia cruel do destino, eles precisam descobrir se o que sentem é verdadeiro ou fruto da extraordinária situação que os uniu. Layken passa a questionar a base de seu relacionamento com Will. E ele precisa provar seu amor para uma garota que parece não conseguir parar de "esculpir abóboras". Mas quando tudo parece resolvido, o casal se depara com um desafio ainda maior - e que talvez mude não só suas vidas, mas também as vidas de todos que dependem deles. 

Resenha

Pausa é o segundo livro da trilogia Slammed. O livro se passa um ano após o final de Métrica. Layken está na faculdade e Will fazendo mestrado. Juntos estão cuidando dos seus dois irmãos mais novos. Devido às circunstâncias, necessitaram ganhar maturidade muito cedo. E juntos sentem as dificuldade de entrar na vida adulta e precisam lidar com o enorme desafio em educar as crianças.

O casal enfrenta uma crise devido ao retorno da ex-namorada de Will, que se diz arrependida de ter deixado o rapaz. E está disposta a tudo para reconquistá-lo. Diversas dúvidas surgem na cabeça de Lake para o desespero de Will, que tem total certeza do que sente e do que quer. Mas infelizmente seus sentimentos e o destino de suas vidas são postos á prova.


Para enfrentar essa crise e novos sofridos obstáculos, o casal ganha o apoio de uma nova vizinha super amável Sherry – mãe de Kiersten –, recebem também ajuda da própria Kiersten (a nova melhor amiga de 11 anos de todos na história), dos irmãos mais novos Kel e Clauder, dos amigos Gavin e Eddie (que também enfrentam sua própria crise e uma novidade que me fez lembrar a história de vida de Eddie), dos avós de Will e até mesmo da mãe de Lake, que mesmo não estando mais presente, aconselha o casal de maneira inspiradora. Todos unidos, torcendo e tramando para que o casal fique bem e enxergue o que todos já estão cansados de presenciar, o amor puro e fascinante dos dois. Que independente das circunstâncias e as responsabilidades que dividem eles se completam.

A vida mais uma vez surpreende o casal de forma trágica, fazendo com Will busque forças que nem ele sabia que tinha, para encarar a dolorosa probabilidade de perder a mulher que ama. Mas com esperança e determinação, Will enfrenta todos os obstáculos com uma coragem única transformando o desfecho da estória em algo perfeito. 

Minhas emoções e Impressões

O livro é divido em três partes, o inicio da parte um o ritmo envolvente manteve-se o mesmo, mas alguns momentos me causou certo incômodo devido às atitudes de Layken. A parte dois a estória ganha um novo sabor de conquista e determinação. Mas a parte três é sofrida e ao mesmo tempo linda de se lê. Os diálogos que Collen Hoover colocou neste livro são impressionantes, carregados de aprendizados para nossa vida, realmente marcou-me profundamente. 

O personagem de Will ganhou meu carinho e admiração por tudo que enfrentou, houve momentos que queria entrar no livro e me tornar melhor amiga dele, só para dizer “Will você não está sozinho!”. Sua personalidade se consolida mais ainda neste livro, reafirmando o homem maravilhoso, é admirável como ele se preocupa com as pessoas que ama e até aquelas que não são tão merecedoras (Num é Reece e Vau?! Ecaaaaa... Oh casal idiota, graças a Deus não tiveram muito destaque, porque eu já os detestava, #mexeucomwillmexeucomigo).


Por sua vez Layken me chateou com atitudes infantis em relação a Will, por outro lado me surpreende em suas atitudes maternas. Os Irmãos Kel e Clauder foram ainda mais fofos, te conquistam ainda mais no decorrer da leitura. A presença agradável de personagens que já conhecemos e a introdução de novos faz a estória ficar mais interessante. Destaque total para Kiersten, uma garotinha de 11 anos com uma inteligência apaixonante que é capaz mudar o significado de uma bela Borboleta em fatos da nossa realidade. 

O que mais amei em Pausa (Além de todo o livro...kkkk) é que podemos conhecer melhor o que se passa na mente e no coração de Will, já que é ele o nosso narrador. Ele possui um cuidado de irmão-pai com Caulder e sem esquecer-se de Kel, tratando com um carinho encantador amigos e um coração totalmente entregue a Lake.

E o final de Pausa é lindo, super original (Gente?! O que foi a blusa horrorosa e a calça Jeans no final?!). 

Fiquei torcendo por estória ter uma continuação, mas ao mesmo tempo sinto que não precisa de mais nada porque foi concluída esplendidamente.

Classificação



terça-feira, 9 de setembro de 2014

Resenha - A Evolução de Mara Dyer - Mara Dyer - Livro 02 - Michelle Hodkin

A Evolução de Mara Dyer - Mara Dyer 
Livro 02 
Michelle Hodkin
Sinopse 

As misteriosas e perigosas habilidades de Mara continuam a evoluir. Ela sabe que não está louca e agora precisa se prender desesperadamente à sanidade. Mara sabe que é tudo real: pode matar com um simples pensamento, assim como Noah pode curar com apenas um toque e que Jude, o ex-namorado morto por ela, está realmente de volta. Mas para descobrir suas intenções, deve evitar uma internação em um hospital psiquiátrico. Confusa com as paredes se fechando e ruindo ao seu redor, ela deve aprender a usar seu poder.

Resenha

“Quando todos dizem que é louca e ninguém acredita quando você jura que não é, uma pequena pequena parte imagina se está mesmo certa.”

No final do livro anterior Mara acredita ter visto seu namorado Jude, considerado morto no desabamento do hospital psiquiátrico onde Mara foi a única sobrevivente. Obviamente ninguém acredita em Mara e ela terá que convencer a todos que não precisa de uma internação psiquiátrica. Somente Noah entende e acredita em Mara, enquanto todos acham que Mara está piorando seu estado mental.

“Arrepios enrugaram minha pele, que brilhava com suor. Mas não podia deixar que papai soubesse que havia algo errado. Precisava me vestir, parecer e agir como se tudo tivesse normal. Como se eu fosse saudável, Jude estivesse morto e nada daquilo estivesse acontecendo.” 

Coisas estranhas começam a acontecer e Mara descobre que sua avó materna se suicidou por motivos de problemas mentais, será hereditário? Mara também acredita que tudo pode ser uma possessão demoníaca por conta de ter brincado com o tabuleiro Ouija.

“Mas ali estava ela, sentada em minha mesa. Imóvel.Pisquei. É claro que estava imóvel. Era uma boneca. Bonecas não se movem. Mas ela havia se movido. Porque, na última vez que a vi, a boneca estava guardada em uma caixa, apoiada em pilhas de fotos antigas e outros bagulhos, no meu quarto de Rhode Island.”

Mara consegue convencer seus pais de que não precisa de uma internação e começa a fazer tratamento em um lugar chamado Horizontes, e lá acaba arrumando inimizades e reencontrando Jamie, seu único amigo, com exceção de Noah que já é praticamente seu namorado. Coisas estranhas continuam acontecendo até na Horizontes e cada vez mais Mara se convence que Jude não morreu e a está perseguindo para amedrontá-la e fazer com que pareça louca.

“O medo é apenas uma sensação. Sensações não são reais.”

“Só porque não se pode provar algo, não significa que não é real.”

“eu não queria ser o pássaro ferido que precisava ser curado, a garota doente que precisava de compaixão.”

O livro tem alguns momentos românticos entre Mara e Noah para aliviar o clima de tensão, mas nada muito prolongado, pois esse não é foco do livro. O casal ainda não consegue se entregar completamente, Mara apesar de muito o desejar tem medo que possa matá-lo ou machucá-lo, devido a tudo que aconteceu antes, e Noah tem certeza que nada vai acontecer mas quer que Mara esteja completamente preparada para que possa se entregar de corpo e alma a relação.

“Era impossível ignorar o formato da sua boca, a curva dos lábios de Noah quando ele dizia meu nome. Era impossível não querer saboreá-los.”

“O beijo foi tão suave que não teria acreditado que aconteceu se não tivesse visto. Os lábios de Noah eram macios como uma nuvem, e eu queria senti-los mais. Com mais força. Mais desejo.”

Minhas Impressões

O livro é tão tenso e maravilhoso quanto o primeiro, a narrativa continua sendo em primeira pessoa pela protagonista Mara, a mente dela continua tão confusa que o leitor fica confuso junto com ela e não consegue mais distinguir o que é real ou não.

Obtive algumas respostas, porém muitas outras perguntas apareceram ao decorrer da leitura e principalmente no desfecho, estou com muito medo que autora não feche a trilogia com chave de ouro e outro rumo seja tomado para o desfecho, mas espero que esteja enganada e ela tenha uma boa explicação para esses novos acontecimentos que me deixaram tensa.

A evolução de Mara Dyer continua como livro favorito, agora estou mega ansiosa pelo desfecho e só me resta aguardar.

Classificação

Por enquanto continuo classificando como Cinco estrelas, espero que no desfecho continue assim.